Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja da Misericórdia do Porto - detalhe

Designação

Designação

Igreja da Misericórdia do Porto

Outras Designações / Pesquisas

Edifício e Igreja da Santa Casa da Misericórdia do Porto(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória

Endereço / Local

Rua das Flores
Porto

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Por desejo expresso de D. Manuel, a Confraria de Nossa Senhora da Misericórdia nasceu na cidade do Porto em 1502, tendo sido instituída na capela de Santiago no claustro velho da Sé. Mais tarde, em meados do século, a Confraria inicia o processo de construção de uma igreja própria, na Rua das Flores. No entanto, esta só ficaria totalmente concluída em Janeiro de 1590, data em que o mestre pedreiro Manuel Luís deu por terminada a construção da capela-mor, cujo risco havia sido da sua responsabilidade. O esquema de abóbada seguido pelo arquitecto neste espaço filia-se, embora com dimensões bem mais reduzidas, no esquema que deu origem à capela-mor do Mosteiro dos Jerónimos, realizada por João de Ruão entre 1565 e 1572.
Cerca de quarenta anos foi o período que demorou a construção da nova igreja. Verificaram-se algumas demoras e é provável que a falta de verbas tenha contribuído para tal, sendo que a capela-mor só foi concluída graças à herança deixada por D. Lopo de Almeida, figura de grande significado no contexto assistencial portuense.
No entanto, a qualidade da construção e os consequentes problemas estruturais ditaram uma profunda intervenção de remodelação e restauro, já no decorrer do século XVIII. Para tal, a Misericórdia consultou diversos técnicos, entre os quais Nicolau Nasoni, que acabaria por conceber a fachada e o arco que sustenta o coro, intervindo ainda, muito possivelmente, na planta da igreja, que se pensa ter sido desenhada pelo Engenheiro Manuel Álvares Martins, responsável geral da obra. Do edifício original conservou-se apenas a capela-mor.
Da fachada de Nasoni resulta um notável exercício de cenografia, que tira partido da topografia sinuosa das ruas envolventes, por forma a maximizar o efeito e a importância da fachada, e aproveita os valores de claro-escuro jogando com a luminosidade portuense que tão bem soube compreender (REAL, 1993, p. 53).
Trata-se de uma fachada simples, cujo esquema de dois andares se aproxima daquele que foi empregue por si próprio na igreja dos Clérigos, mas que, embora mantendo um vocabulário barroco deixa antever, nas "linhas finas e sinuosas", a influência do rococó (SMITH, Robert, 1967; ALVES, 1989, p. 309).
Do interior, de gosto neoclássico datado do século XIX, destaca-se o guarda vento de talha rococó. O retábulo original, pintado por Diogo Teixeira no final do século XVI, desapareceu, restando apenas três tábuas - Anunciação, Visitação da Virgem e Natividade. Executado com as verbas testamenteiras de D. Lopo de Almeida, este retábulo segue, na tábua da Adoração, o modelo do retábulo de Torres Novas do mesmo autor, mantendo as figuras alteadas e a beleza idealizada características da obra de Diogo Teixeira. Destaque ainda para a conhecida pintura Fons Vitae oferecida por D. Manuel à Misericórdia, que, embora de autor desconhecido, não deixa de apontar claramente para a sua filiação na pintura norte-europeia de quinhentos.
Rosário Carvalho

Imagens

Bibliografia

Título

Elementos sobre o valor histórico e patrimonial da área proposta, Porto a Património Mundial

Local

-

Data

-

Autor(es)

-

Título

Inventário Artístico de Portugal: Cidade do Porto

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

QUARESMA, Maria Clementina de Carvalho

Título

Guia histórico e artistico do Porto

Local

-

Data

1935

Autor(es)

PASSOS, Carlos de

Título

Nicolau Nasoni, arquitecto do Porto

Local

-

Data

1966

Autor(es)

SMITH, Robert C.

Título

Nasoni, Nicolau, Dicionário de Arte Barroca em Portugal

Local

-

Data

1989

Autor(es)

ALVES, Joaquim Jaime Ferreira

Título

Porto, cidade do, Dicionário da Arte Barroca em Portugal

Local

-

Data

1989

Autor(es)

ALVES, Joaquim Jaime Ferreira

Título

Manuelino. À descoberta da arte do tempo de D. Manuel I

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

Principais imóveis de interesse patrimonial no Centro Histórico do Porto, Porto a Património Mundial, pp.102-183

Local

Porto

Data

1993

Autor(es)

OLIVEIRA, Amélia Vieira de, BRAGA, Maria Helena Gil

Título

A Arquitectura do Ciclo Filipino

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

SOROMENHO, Miguel

Título

Retábulos das Misericórdias Portuguesas

Local

Faro

Data

2009

Autor(es)

LAMEIRA, Francisco