Saltar para o conteúdo principal da página

Chafariz da Rua de São João (vestígios) - detalhe

Designação

Designação

Chafariz da Rua de São João (vestígios)

Outras Designações / Pesquisas

Fonte da Rua de São João / Fonte da Ribeira(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Chafariz

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória

Endereço / Local

Rua de São João
Porto

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 28 536, DG, I Série, n.º 66, de 22-03-1938 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Integrado no plano de urbanização definido pelos Almadas, o Chafariz da Praça da Ribeira impõe-se na malha urbana da cidade, pela sua localização privilegiada, mas também pelas suas dimensões.
A sua construção remonta a 1783, ano em que João de Almada e Melo terá determinado a sua edificação, para substituir um outro chafariz, do século XVII, erguido sensivelmente no mesmo local. As obras decorreram com relativa rapidez, estando concluídas três anos depois. Urbanisticamente, a sua imagem é marcante. Não só representa um dos edifícios definidores da Praça da Ribeira, como se impõe pela sua elevada altura, ao nível de três pisos, sobre uma artéria da cidade em acentuado declive à sua frente.
Artisticamente, é uma das obras públicas barrocas de maior notoriedade na cidade barroca. Jonh Whitehead, o arquitecto responsável pela obra, definiu uma estrutura maciça duplamente tripartida: três andares organizados cada um em três panos distintos. O primeiro andar corresponde ao chafariz propriamente dito, ocupando o tanque semicircular o pano central. Os dois registos superiores, separados entre si por um friso, são decorados com vários elementos barrocos, com especial relevo para os respectivos panos centrais, onde se destaca um nicho para albergar uma imagem (hoje desaparecida) e o escudo das armas de Portugal encimando e tutelando todo o conjunto. Superiormente, o chafariz termina num entablamento e numa varanda gradeada.
Restaurada em 1940, o chafariz mantém praticamente intactas as suas características iniciais, tão peculiares ao Barroco urbano patrocinado pelos Almadas no Porto do século XVIII.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

89. Fonte da Rua de São João

Local

-

Data

-

Autor(es)

-

Título

O Porto na época dos Almadas - Arquitectura e Obras Públicas

Local

-

Data

-

Autor(es)

ALVES, Joaquim Jaime Ferreira

Título

Inventário Artístico de Portugal: Cidade do Porto

Local

-

Data

-

Autor(es)

-