Saltar para o conteúdo principal da página

Casa do Dr. Domingos Barbosa, onde está instalado o Museu de Guerra Junqueiro - detalhe

Designação

Designação

Casa do Dr. Domingos Barbosa, onde está instalado o Museu de Guerra Junqueiro

Outras Designações / Pesquisas

Casa-Museu Guerra Junqueiro / Casa do Dr. Domingos Barbosa / Museu de Guerra Junqueiro(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória

Endereço / Local

Rua de D. Hugo
Porto

Número de Polícia: 30 a 32

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A actual Casa-Museu Guerra Junqueiro foi, inicialmente, a casa do cónego da Sé do Porto, Dr. Domingos Barbosa, que a mandou construir cerca de 1730. Tradicionalmente atribuído a Nicolau Nasoni (SMITH, 1966), este edifício tem vindo a ser reavaliado face aos novos estudos que o inscrevem na esfera de actuação de um outro arquitecto, António Pereira, a trabalhar no Porto sensivelmente na mesma época. Na verdade, é difícil determinar a autoria de algumas das obras atribuídas a ambos, principalmente no que respeita aos primeiros anos do italiano no nosso país, sendo que o Palácio de São João Novo, anteriormente referido como projecto de Nasoni é hoje considerado uma obra de António Pereira (ALVES, 2001). São as semelhanças entre as fachadas da Casa do Dr. Domingos Barbosa e do palácio de São João Novo que levaram determinados investigadores a atribuir a primeira ao risco de António Pereira (IDEM).
Independentemente do seu arquitecto, o edifício que foi residência do cónego da Sé, revela uma série de aspectos que importa destacar. Confina com a rua D. Hugo, do bairro da Sé em que se insere, através da fachada lateral marcada pela abertura das três janelas de sacada com gradaria da época e que são mencionadas no testamento do Cónego, com data de 1746 e que recordam as da fachada traseira da Casa do Despacho da Ordem Terceira de São Francisco, de Nasoni (SMITH, 1966). Já as respectivas bandeiras, de desenho exótico, são muito semelhantes às da capela da Quinta de Fafiães, desenhada pelo arquitecto italiano para Manuel Barbosa de Albuquerque, Chantre da Sé do Porto. Este alçado prolonga-se pelo muro que isola o pátio da via pública e que se impõe pela monumentalidade do portal, coroado por um par de leões e duas flores de lis, elementos heráldicos emprestados do brasão dos Barbosa de Albuquerque.
A fachada principal da casa caracteriza-se pelo espaço vazio que realça o desenho das molduras dos vãos, e por um sentido de verticalidade conferido não apenas pela composição das janelas, mas também pelas torres que rematam as extremidades do edifício. Estas, com os cantos chanfrados onde se abrem terraços, não podem deixar de recordar algumas das construções quinhentistas, denunciando talvez uma preocupação com um passado arquitectónico nacional. Por sua vez, as janelas de ambos os pisos ligam-se entre si, formando uma linha vertical, coroada por volutas e flores de lis, que ganha maior expressão no eixo central, com a porta de entrada, o frontão a sobrepuja, a janela e a sacada superior, mais elevada em relação às restantes.
No interior, merece especial referência, pela sua monumentalidade, a escadaria de acesso ao piso superior, que se encontra ao fundo da entrada.
Na posse da mesma família durante anos, a casa foi herdada pelo genro de Guerra Junqueiro (Luís Augusto Pinto de Mesquita Carvalho era casado com Isabel Maria, filha do escritor) e em 1940 foi doada pela sua filha à Câmara Municipal do Porto, com a condição de aí ser instalada uma Casa-Museu com as colecções de arte e literatura de Guerra Junqueiro, então também doadas à autarquia (o acervo tinha cerca de 600 peças).
Entre 1994 e 1997 a Casa-Museu foi objecto de uma importante remodelação cujo projecto esteve a cargo do arquitecto Alcino Soutinho, dispondo hoje de uma sala de exposições temporárias, um pequeno auditório, uma cafetaria e uma loja (SOUTINHO, 2001).
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Porto a Património Mundial - Processo de Candidatura da Cidade do Porto à Classificação pela UNESCO como Património Cultural da Humanidade

Local

-

Data

1993

Autor(es)

LOZA, Rui Ramos

Título

Nicolau Nasoni, arquitecto do Porto

Local

-

Data

1966

Autor(es)

SMITH, Robert C.

Título

António Pereira: arquitecto do Palácio de São João Novo, in Boletim Cultural, 2ª série, vol. 7/8, pp. 241-249

Local

Porto

Data

1990

Autor(es)

ALVES, Joaquim J. Ferreira

Título

A casa nobre no Porto: na época moderna

Local

Lisboa

Data

2001

Autor(es)

ALVES, Joaquim J. Ferreira

Título

Remodelação da Casa Museu Guerra Junqueiro, Monumentos, n.º 14

Local

Lisboa

Data

2001

Autor(es)

SOUTINHO, Alcino