Saltar para o conteúdo principal da página

Casa Grande de Freixo de Numão - detalhe

Designação

Designação

Casa Grande de Freixo de Numão

Outras Designações / Pesquisas

Museu da Casa Grande
Museu de Etnografia e Estação Arqueológica / Casa Grande de Freixo de Numão / Museu de Etnografia da Casa Grande(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Vila Nova de Foz Côa / Freixo de Numão

Endereço / Local

Rua Direita
Freixo de Numão

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

De planta rectangular, com dois pisos e dois corpos distintos correspondentes ao solar e à capela, a Casa Grande de Freixo de Numão, é um imóvel setecentista, mas com capela rococó já da segunda metade da centúria.
O esforço decorativo concentra-se, naturalmente, na fachada principal, cujo desenvolvimento em comprimento contrasta com o eixo central. Um portal de verga em arco abatido flanqueado por pilastras, é prolongado pela janela de sacada, com varanda de planta contracurvada e balaustrada. Segue-se, em grande destaque, o brasão da família a quem o imóvel pertencia, os Vasconcelos, Sousas e Mourtinhos, que faz elevar a cornija formando um frontão semicircular.
A verticalidade deste eixo é ainda mais realçada pelos vãos de molduras recortadas que se abrem em ambos os pisos, e cujo ritmo converge para esta composição central.
No interior, a comunicação é articulada por uma escadaria, havendo ainda a destacar uma das salas com pinturas murais, mas que infelizmente não se conservou.
A capela, na continuidade do alçado principal, denuncia um maior dinamismo nos elementos que a compõem, com pilastras encimadas por fogaréus, portal decorado por volutas e concheados, ao qual se liga o janelão, terminando o conjunto num frontão contracurvado interrompido por nicho. A cartela sobre o portal exibe a data de 1783, que corresponde à sua edificação, com uma legenda alusiva à imaculada conceição de Maria. No interior, com coro-alto, destaca-se o retábulo de marmoreados já do final do século XVIII.
Assim, a Casa Grande inscreve-se no modelo da denominada casa comprida, que caracterizou a arquitectura civil do nosso país no século XVIII, e que se pauta por um desenvolvimento em comprimento, materializado numa longa fachada, apenas dinamizada pelos elementos decorativos, que lhe emprestam uma imagem cenográfica própria do barroco. Pode ser cotejada com um pequeno conjunto de solares setecentistas, de grande imponência, edificados nas margens do Douro, e onde se sente a influência, e a estreita ligação ao trabalho tradobarroco de Nicolau Nasoni, e da sua encenação da cidade através da obra das fachadas (entre outras a casa do cabo, a casa de Cedovim, ou a casa de Almendra).
Quando, em 1983, a Câmara Municipal decidiu adquirir o imóvel para aqui instalar um museu, doando-o posteriormente à Associação Cultural Desportiva e Recreativa de Freixo de Numão (A.C.D.R.), fizeram-se escavações no local, que revelaram vestígios de ocupação do espaço desde tempos muito remotos. Foram enconrados materiais pré e proto-históricos, bem como largos vestígios de ocupação romana, visíveis na área musealizada do quintal - parte de uma casa, celeiro, e áreas de forja, de moagem e de tecelagem. Localizaram-se, ainda, testemunhos de ocupação na Idade Média, e para os séculos XVI e XVII fortes indícios da existência de um palácio, ao qual surge ligado o nome de Andrez Perez Carneiro Henriques, também relacionado cm a capela de Nossa Senhora da Conceição, da rua do Cabo, com a data de 1654 (dados das escavações efectuadas pelo museu).
O Museu de Casa Grande, abriu as suas portas ao público no ano de 1996, apresentando colecções de arqueologia e etnografia, com objectos provenientes das escavações efectuadas pela A.C.D.R.
(Rosário Carvalho)

Bibliografia

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de