Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Constância - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Constância

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Constância(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Constância / Constância

Endereço / Local

Praça Alexandre Herculano
Constância

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Em 1836, a vila ribatejana de Punhete (do latim Pugna-Tage, ou "combate no Tejo", expressão aparentemente relacionada com o encontro tumultuoso das águas do Tejo e do Zêzere na região) foi denominada "Notável Vila de Constância" por decreto régio, assinado por D. Maria II. O pelourinho datará deste período, conforme a sua feição romântica, embora a antiga Punhete tivesse já recebido de D. Sebastião honras de vila (sem foral) em 1578.
O pelourinho ergue-se sobre um soco constituído por três degraus poligonais (o térreo embebido no pavimento), de parapeito, sobre o qual se levanta uma base paralelepipédica com almofada rectangular nas faces, e uma coluna de fuste liso e secção circular, estreitando ligeiramente em direcção ao topo. O capitel, jónico, é rematado por uma grande plataforma moldurada, de onde saem os ferros de sujeição, meramente ornamentais, e sobre a qual está fixada uma esfera armilar em ferro forjado. Os degraus estão actualmente protegidos por balaústres. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde