Saltar para o conteúdo principal da página

Capela de São José - detalhe

Designação

Designação

Capela de São José

Outras Designações / Pesquisas

Capela de São José(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Golegã / Azinhaga

Endereço / Local

Rua de São José
Golegã

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 735/74, DG, I Série, n.º 297, de 21-12-1974 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Capela de São José foi edificada na terceira década do século XVII, para servir como templo particular ao solar da família Serrão Faria, implantado defronte do templo. Edificada sobre um adro elevado e gradeado, com acesso por escadas, mantém a fisionomia seiscentista original intacta, tanto na estrutura exterior como no programa decorativo interior.
De planimetria longitudinal, composta pelos volumes da nave, de espaço único, e da capela-mor, o templo dedicado a São José apresenta uma fachada dividida em dois registos, rasgada por portal de moldura recta com frontão triangular interrompido por janela arquitravada.
No segundo registo, um frontão contracurvado ladeado por pináculos remata o conjunto da fachada, albergando ao centro um nicho com a imagem do padroeiro. Na sineira, colocada na fachada lateral direita, foi gravada a inscrição que atesta a data de edificação da ermida, "A mim me mandou fazer Gaspar Serrão - 1634".
O interior é revestido por painéis de azulejos seiscentistas. As paredes da nave são decoradas por conjuntos de azulejos de padrão azuis e amarelos, emoldurados por azulejos de tipo joalharia no rodapé e bordaduras na sanca. A capela-mor é ornamentada com azulejos azuis de Toledo.
Os tectos de madeira são decorados por "(...) nove quadros alusivos à vida do orago, com a curiosidade, muito da época, de todas as personagens sagradas estarem vestidas à moda do século XVII" (Inventário Artístico de Portugal, 2000). O espaço entre as molduras é preenchido por motivos de brutesco. Na capela-mor foi colocado um retábulo de talha, com um baixo relevo polícromo que representa o Casamento da Virgem e de São José (Idem, ibidem).
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/ 4 de Novembro de 2005

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal - Aveiro, Beja, Coimbra, Évora, Leiria, Portalegre, Porto e Santarém

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos