Saltar para o conteúdo principal da página

Casa-Museu Carlos Relvas, também denominada «Casa-Estúdio de Carlos Relvas», «Atelier de Carlos Relvas» ou «Museu de Fotografia de Carlos Relvas», incluindo os seus jardins e recheio - detalhe

Designação

Designação

Casa-Museu Carlos Relvas, também denominada «Casa-Estúdio de Carlos Relvas», «Atelier de Carlos Relvas» ou «Museu de Fotografia de Carlos Relvas», incluindo os seus jardins e recheio

Outras Designações / Pesquisas

Casa-Museu Carlos Relvas, incluindo os seus jardins e recheio / Atelier de Carlos Relvas / Casa-Museu de Carlos Relvas / Museu de Fotografia de Carlos Relvas(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Golegã / Golegã

Endereço / Local

Rua José Farinha Relvas
Golegã

Rua D. Manuel I
Golegã

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 2/96, DR, I Série-B, n.º 56, de 6-03-1996 (ver Decreto)
Edital de 24-10-1994 da CM da Golegã
Despacho de homologação de 19-08-1989 da Secretária de Estado da Cultura
Parecer de 10-08-1989 da 9.ª Secção do Conselho Consultivo do IPPC a propor a classificação como IIP
Despacho de 28-09-1981 da presidente do IPPC a determinar que se estudasse a possibilidade de o imóvel ser classificado

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Conjunto arquitectónico oitocentista, da autoria do arquitecto Henrique Carlos Afonso, constituído por um imóvel e jardim do qual sobressaem algumas espécies exóticas, um lago e um parque infantil é, hoje em dia a Casa Museu de Carlos Relvas. Do acervo aqui existente destacam-se o arquivo fotográfico, mobiliário e instrumentos musicais, para além da biblioteca particular de Carlos Relvas que conta com cerca de quatro mil volumes.
A construção do edifício, que se destinava a funcionar como estúdio e laboratório de fotografia, ocorreu entre 1872 e 1875. Alguns anos mais tarde, em 1887, o imóvel sofreu obras de adaptação a residência o que ocasionou uma grande transformação no seu interior.
Trata-se de um edifício de dois pisos de planta longitudinal formado pela articulação de diversos corpos, com cobertura diferenciada em telhados de duas águas e em pavilhão.
Na fachada principal podemos ver os bustos de Nièpce e de Daguerre, os percursores da fotografia.
Em 1981, o edifício foi doado à Câmara Municipal da Golegã que o transformou na Casa Museu Carlos Relvas.
Ana Mântua

Imagens