Saltar para o conteúdo principal da página

Sítio arqueológico de Castelos de Monte Novo, também denominado «Cidade de Cuncos» - detalhe

Designação

Designação

Sítio arqueológico de Castelos de Monte Novo, também denominado «Cidade de Cuncos»

Outras Designações / Pesquisas

Povoado dos Castelos de Monte Novo / Sítio Arqueológico dos Castelos de Monte Novo / Cidade de Cuncos(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Povoado Fortificado

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Évora / São Manços e São Vicente do Pigeiro

Endereço / Local

-- -
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 67/97, DR, I Série-B, n.º 301, de 31-12-1997 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Construído entre os séculos IV e I a. C., este povoado do Bronze Final terá assistido a uma ampliação já em plena 2.ª Idade do Ferro, durante o I século d. C.
Ao tomar-se conhecimento da sua provável existência a partir da publicação das "Grandes Vias da Lusitânia", procedeu-se à sua prospecção em meados dos anos sessenta do século XX, encontrando-se diversos fragmentos indiciadores da localização do povoado na zona indicada pela referida obra, tendo o investigador Virgílio Correia estudado o sítio em finais da década de oitenta, recolhendo material e amostras da linha de muralha exterior aí existente. Implantado numa zona que domina toda a paisagem circundante, as ruínas deste povoado compõem-se de uma linha de muralha dividida por outra colocada longitudinalmente, em redor da qual se desenvolve uma segunda essencialmente constituída por grandes blocos, numa extensão de c. de 200 m.
Podem-se observar à superfície diversos materiais, de entre os quais fragmentos de cerâmica de construção, bem como alguns sulcos, possivelmente "buracos de poste", ou decorrentes de investigações anteriores.
Dos estudos referentes a este povoado será talvez de realçar a análise efectuada às amostras retiradas da 2.ª linha de muralha. Com efeito, a investigação levada a cabo no "Center for Field Archaeology", na Universidade de Edimburgo, concluiu tratar-se de uma edificação pétrea realizada sobre estrutura de madeira. De denotar será ainda o facto de que, em resultado de um incêndio, ocorreu a fusão do material pétreo - neste caso, granito e xisto -, com outros materiais presentes na sua edificação, com especial preponderância da cerâmica grossa de construção. Esta ilação será tanto mais interessante, quanto encontramos paralelos europeus desde, pelo menos, o século X a. C. Corresponderá, por isso, ao denominado murus gallicis - a vitrification observada em numerosos hill-forts do Norte de Inglaterra.
[AMartins]

Bibliografia

Título

A Idade do Ferro na Planície Central Alto-Alentejana. Bases de um projecto de investigação

Local

-

Data

1992

Autor(es)

-

Título

A II Idade do Ferro no Sul de Portugal: O estado actual dos nossos conhecimentos, Actas do XXI Congresso acional de Arqueologia

Local

-

Data

1992

Autor(es)

BEIRÃO, Caetano de Melo; CORREIA, Virgílio Hipólito

Título

As grandes vias da Lusitania - O Itinerário de Antonio Pio

Local

-

Data

1964

Autor(es)

SAA, Mário