Saltar para o conteúdo principal da página

Sala designada pelo nome de Salão Pompeia, no antigo Palácio da Ega - detalhe

Designação

Designação

Sala designada pelo nome de Salão Pompeia, no antigo Palácio da Ega

Outras Designações / Pesquisas

Arquivo Histórico Ultramarino ou do Ultramar / Palácio do Pátio do Saldanha / Palácio dos Condes da Ega / Palácio da Ega / Arquivo Histórico Ultramarino(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palácio

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Alcântara

Endereço / Local

Calçada da Boa-Hora
Lisboa

Número de Polícia: 30

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 37 728, DG, I Série, n.º 4, de 5-01-1950 (ver Decreto)

ZEP

Portaria n.º 39/96, DR, I Série-B, n.º 37, de 13-02-1996 (sem restrições) (ZEP conjunta da Capela de Santo Amaro, da Casa Nobre de Lázaro Leitão Aranha, do Palácio Burnay e da Sala designada «Salão Pompeia» no antigo Palácio da Ega) (ver Portaria)
Edital N.º 64/95 de 26-05-1995 da CM de Lisboa
Despacho de homologação de 10-10-1991 do Secretário de Estado da Cultura
Despacho de concordância de 1-10-1991 do presidente do IPPC
Parecer favorável de 26-09-1991 do Conselho Consultivo do IPPC
Nova proposta de 18-09-1991 do IPPC
Despacho de homologação de 15-05-1981 do Secretário de Estado da Cultura
Novo parecer de 8-05-1981 da Comissão "ad hoc" do IPPC
Despacho de homologação de 8-04-1981 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 31-03-1981 da Comissão "ad hoc" do IPPC a propor a fixação de uma ZEP conjunta com outros imóveis
Proposta de 26-01-1981 da DGEMN para a ZEP do Salão Pompeia

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A primitiva construção do Palácio da Ega remonta ao século XVI, conforme indica uma inscrição com a data de 1582 numa fonte à entrada da casa principal. A actual organização do edifício, com três corpos claramente distintos, deve-se à grande reforma do século XVIII, altura em que se construiu toda a ala nascente e numerosas outras obras patrocinadas pelo 2º Conde da Ega, Aires José Maria de Saldanha. Insere-se nesta campanha o célebre Salão Pompeia, decorado com azulejos holandeses da primeira metade do século XVIII, alusivos a vistas de portos europeus. Novas obras no século XIX conferiram o aspecto que este Salão hoje detém, com a construção da falsa cúpula, que substitui o antigo tecto setecentista, em madeira policromada, e a pintura de painéis no local das antigas janelas. A história do palácio ao longo do século XIX está intimamente ligada à família Saldanha e à sua decadência. Vendido pelos meados de oitocentos, a propriedade teve vários proprietários até ser finalmente adquirida pelo Estado português. Desde 1931 aqui funciona o Arquivo Histórico Ultramarino.
PAF

Imagens