Saltar para o conteúdo principal da página
Património Cultural

Igreja de Vila Franca do Rosário - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Vila Franca do Rosário

Outras Designações / Pesquisas

Igreja Paroquial de Vila Franca do Rosário / Igreja de Nossa Senhora do Rosário (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Mafra / Enxara do Bispo, Gradil e Vila Franca do Rosário

Endereço / Local

-- -
Vila Franca do Rosário

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 29/84, DR, I Série, n.º 145, de 25-06-1984 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A igreja de Vila Franca do Rosário destaca-se pela galilé cenográfica e teatral que antecede a fachada principal, a qual deveria fazer parte de um projecto arquitectónico mais vasto, mas não concluído. De facto, os volumes escalonados correspondentes à zona da nave e da capela-mor, são relativamente simples, apresentando apenas janelas com moldura de cantaria nos pisos superiores. É, pois, a galilé que lhe confere grande imponência e que torna este imóvel o eixo estruturador do adro murado em que se insere.
A construção do templo remonta à segunda metade do século XVI (c. 1567) e, a crer na lápide tumular existente no pavimento da nave, estaria, com certeza, concluída em 1580. A sua origem relaciona-se com uma lenda onde se conta a aparição de Nossa Senhora ao pastorinho Fernando, e em que a Virgem lhe ordena a edificação de uma ermida nesse mesmo local, garantindo que para tal não faltariam recursos. Apesar das reticências iniciais do pai do pastor, as obras da igreja iniciaram-se a expensas deste lavrador e, de acordo com as instruções de Nossa Senhora, a sua imagem, que deveria figurar no novo templo encontrava-se na ermida de Santa Comba, localizada nas proximidades (LUCENA, 1987, pp. 53-54). Esta lenda, que justifica a construção do templo, deverá, ainda, explicar a ligação a Santa Comba, cuja imagem se encontra na capela-mor, a par da representação da padroeira da igreja.
O primitivo edifício deverá ter sofrido grandes danos em consequência do terramoto de 1755, mas desconhece-se qual o alcance dos estragos, pelo que é difícil perceber se a galilé é uma obra posterior e inacabada, ou se é o resultado do grande sismo do século XVIII, não tendo chegado a igreja a ser reparada na totalidade. Em todo o caso, parece-nos que esta estrutura que antecede a fachada é, claramente, uma obra de linguagem barroca, de modelo erudito.
A iconografia referente à invocação do templo percorre todo o espaço, e no portal são visíveis motivos evocativos do rosário, tal como o azulejo que o ladeia representa a lenda a que já fizemos referência. A mesma temática encontra-se no interior, nomeadamente ao nível da pinturas dos tectos: a nave, em abóbada, alude ao episódio em que a Virgem entrega o rosário a São Domingos de Gusmão e, na abóbada da capela-mor, retoma-se a temática da aparição da Virgem ao pastor Fernando.
Ainda no interior, e para além do púlpito e do coro alto, este último sobre a porta principal, salientam-se os dois altares colaterais, de talha dourada e, na capela-mor, o retábulo é uma obra mais tardia, onde figuram as já referidas imagens de Nossa Senhora do Rosário e de Santa Comba.
Assim, podemos concluir que a singularidade da galilé deste templo, que radica em modelos arquitectónicos de grande erudição, é o seu elemento de maior significado, contrastando fortemente com o interior, de grande depuração decorativa, facto que evidencia uma descontinuidade estética e, muito possivelmente, a interrupção de uma campanha de obras ou a destruição de parte da igreja existente antes do Terramoto.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Carta do Património do Concelho de Mafra. 1 - Lavabos de Sacristia, Boletim Cultural '97, pp.371-396

Local

Mafra

Data

1998

Autor(es)

VILAR, Maria do Carmo

Título

Monografia de Mafra

Local

Mafra

Data

1987

Autor(es)

LUCENA, Armando de

Título

Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa, vol. III (Mafra, Loures e Vila Franca de Xira)

Local

Lisboa

Data

1963

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de, FERRÃO, Julieta, GUSMÃO, Adriano de

Título

Identidades. Património Arquitectónico do Concelho de Mafra

Local

Mafra

Data

2009

Autor(es)

FERNANDES, Paulo Almeida, VILAR, Maria do Carmo