Saltar para o conteúdo principal da página

Loggia quinhentista e capela manuelina da Igreja de São Tomé de Negrelos - detalhe

Designação

Designação

Loggia quinhentista e capela manuelina da Igreja de São Tomé de Negrelos

Outras Designações / Pesquisas

Igreja Paroquial de São Tomé de Negrelos / Igreja de São Tomé(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Santo Tirso / Negrelos (São Tomé)

Endereço / Local

-- -
São Tomé de Negrelos

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 33 587, DG, I Série, n.º 63, de 27-03-1944 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Desconhece-se a data da primitiva fundação da matriz de Negrelos, dedicada a São Tomé. Há referencias documentais à povoação desde o século XI, que posteriormente foi elevada a vila e couto.
No actual templo distinguem-se três épocas de construção: uma primeira, que corresponde ao início do século XVI e do qual se destaca a capela do Santíssimo Sacramento, de traça manuelina, a segunda, que corresponde às décadas de 30 e 40 de Quinhentos, durante as quais se terá edificado a loggia quinhentista no exterior da igreja, e uma última, de gosto maneirista, que corresponde à edificação do corpo da igreja, mais tardia. No conjunto estrutural do templo distinguem-se a capela e a galeria exterior.
A capela manuelina, de planimetria quadrangular, tem acesso pelo interior do templo. É coberta por uma abóbada de cruzaria de ogivas e alberga ao centro um conjunto de imagens que formam um Calvário , no lugar do retábulo.
A loggia , situada junto ao adro da igreja, adossada à fachada lateral direita, desenvolve-se em planimetria quadrangular dividida em dois pisos. O piso térreo forma uma arcada, que assenta sobre colunata compósita. Uma escada dá acesso ao piso superior, que possui janela de canto gradeada, sendo o espaço delimitado por vão totalmente fechado.
Este elemento, que apresenta um modelo de grande erudição, é um exemplar único na região. Embora sem fundamentação documental, a traça desta loggia é atribuída a Francisco Cremona, datando-se de cerca de 1545 (MOREIRA, 1995, p. 339).
Catarina Oliveira
IPPAR/2006

Bibliografia

Título

Arquitectura: renascimento e classicismo, História da Arte Portuguesa, vol. II, 1995, pp. 303-375

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

MOREIRA, Rafael

Título

A Arquitectura ao Romano

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

CRAVEIRO, Maria de Lurdes