Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Cinfães - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Cinfães

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Cinfães(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Cinfães / Cinfães

Endereço / Local

Largo dos Paços do Concelho (diante da Câmara Municipal)
Cinfães

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Durante a Idade Média, Cinfães foi honra e centro das Terras de Ribadouro, cujo senhor era Egas Moniz. D. Afonso Henriques aí chegou a viver, na companhia do seu célebre aio, na povoação de Cresconhe (Santiago de Piães). D. Dinis reconhceu-lhe privilégios antigos, em 1290, e D. Manuel deu-lhe foral em 1513. O concelho foi extinto em 1836, e restabelecido em 1855. O pelourinho que conserva deverá datar de então, uma vez que se trata de exemplar de factura moderna, ainda que glosando um modelo antigo (manuelino?).
O pelourinho levanta-se no jargo ajardinado fronteiro aos Paços do Concelho de Cinfães, sobre soco de dois largos degraus quadrangulares, de aresta. A coluna tem base cúbica, lisa, e fuste cilíndrico, que arranca de um toro circular, seguindo com ligeira entasis e secção decrescente até ao topo. O capitel, circular, é composto por astrágalo, colarinho liso, coxim, e ábaco, sobre o qual assenta um tabuleiro de molduras crescentes, coroado por merlões cantonais, rematados em pirâmide. O conjunto evoca alguns pelourinhos tradicionais, geralmente chamados de tabuleiro, rematados com um castelo estilizado. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde