Saltar para o conteúdo principal da página

Capela de Santa Cruz - detalhe

Designação

Designação

Capela de Santa Cruz

Outras Designações / Pesquisas

Capela do Calvário / Capela do Sítio do Calvário / Capela de Santa Cruz / Capela do Calvário (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Covilhã / Covilhã e Canhoso

Endereço / Local

- Sítio do Calvário
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 42 692, DG, I Série, n.º 276, de 30-11-1959 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Segundo a tradição local, a Capela de Santa Cruz, ou do Calvário, foi fundada na primeira metade do século XV pelo Infante D. Henrique, Duque de Viseu e senhor de um vasto território na Beira Alta que incluía a Covilhã. No entanto, pouco restará do templo gótico primitivo, uma vez que o Infante D. Luís, filho de D. Manuel e senhor da Covilhã, mandou reformar o espaço no século XVI.
Cerca de 1570 era instituída no templo a Irmandade de Nossa Senhora de Vera Cruz, destinada aos "moços solteiros" da povoação.
A capela desenvolve-se em planta longitudinal, composta por dois volumes diferenciados, correspondentes à nave e à capela-mor. No exterior possui dois alpendres, um de secção rectangular que antecede a fachada principal, assente sobre oito colunas toscanas, outro, quadrado, adossado ao portal lateral do templo e também apoiado em colunas toscanas. O portal principal, de arco pleno, é ladeado por duas janelas quadrangulares. Em ambas as fachadas laterais foram rasgados portais de acesso ao interior, de moldura rectangular simples. O edifício possui ainda, junto ao remate das fachadas, gárgulas de canhão.
O interior, de nave única, apresenta um programa decorativo, executado no século XVII, de gosto barroco. O espaço é coberto por tecto de caixotões pintados com cenas da Vida de Cristo, rematados com molduras de talha dourada. Do lado do Evangelho foi colocado o púlpito, de secção cúbica, em talha dourada. A capela-mor é antecedida pelo arco triunfal, em talha que apresenta um programa decorativo semelhante ao retábulo principal, e o espaço adjacente foi dividido em vários painéis, decorados com elementos fitomórficos inseridos num fundo policromado. Coberta por falsa abóbada de berço, em madeira policromada, a capela-mor alberga sobre o altar um retábulo de talha dourada de estilo nacional.
O tecto da capela foi restaurado no século XIX, sendo então repintado por Manuel de Morais da Silva Ramos, pintor local conhecido na região com Morais do Convento.
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/ 15 de Junho de 2005

Imagens

Bibliografia

Título

Guia de Portugal, Beira II - Beira Baixa e Beira Alta

Local

Lisboa

Data

1984

Autor(es)

DIONÍSIO, Sant'Ana

Título

Telas falsas na Capela do Calvário, Jornal Terras da Beira, 27/8/1998

Local

-

Data

-

Autor(es)

-

Título

Covilhã restaura capela do Calvário, Terras da Beira, 21/11/1996

Local

-

Data

1996

Autor(es)

-

Título

Elementos para um inventário artístico do Distrito de Castelo Branco

Local

Castelo Branco

Data

1976

Autor(es)

SALVADO, António

Título

Santa Casa da Misericórdia da Covilhã - cibos para a sua história

Local

Covilhã

Data

1999

Autor(es)

SIMÕES, Maurício

Título

Covilhã - percursos de uma história secular

Local

Covilhã

Data

2003

Autor(es)

GOMES, Paulino