Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Cabeçais - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Cabeçais

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Cabeçais (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Arouca / Fermedo

Endereço / Local

- na escadaria da Capela de Nossa Senhora da Saúde
Cabeçais

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A antiga villa de Fermedo teve foral dado por D. Afonso III, em 1275, em cuja carta se menciona já um foral velho de data desconhecida. O concelho teve foral novo de D. Manuel, em 1514, e foi extinto em 1855, sendo integrado em Arouca. A sede do concelho esteve em Cabeçais, referindo alguns autores que chegaram a existir duas Casas da Câmara e dois pelourinhos, um na vila de Cabeçais e um na vila de Fermedo. Certo é que o único pelourinho que resta na actualidade possui gravada a data do foral de Fermedo. Ergue-se no largo da antiga Casa da Câmara desta freguesia, integrado na escadaria de uma capela, e resulta de uma reconstrução do século XX, uma vez que o monumento primitivo estava então destruído.
O pelourinho levanta-se sobre soco de dois degraus de secção quadrangular, de arestas, que está integrado nos degraus térreos da escadaria da Capela de Nossa Senhora da Saúde. A coluna assenta em pedestal elevado, constituído por um bloco prismático sobre plinto quadrangular, e rematado no cimo por moldura saliente com topo rampante, de onde se eleva o fuste. Este é cilíndrico e liso, elevando-se a boa altura. O capitel resume-se a um tabuleiro circular, e o remate é constituído por uma pinha recoberta de folhagem, sobre moldura rebordante. Tem duas datas gravadas, a de 1275, remetendo para o foral afonsino, e a de 1932, ano da sua reconstrução. Desconhecemos se alguma das peças que o constitui é antiga; a tipologia do monumento é bastante anódina, e possivelmente setecentista. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde