Saltar para o conteúdo principal da página

Estação Arqueológica de Monte Molião - detalhe

Designação

Designação

Estação Arqueológica de Monte Molião

Outras Designações / Pesquisas

Povoado do Monte Molião / Estação Arqueológica do Monte Molião(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Povoado

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Faro / Lagos / São Gonçalo de Lagos

Endereço / Local

-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 26-A/92, DR, I Série-B, n.º 126, de 1-06-1992 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Classificada como IIP desde 1992, a "Estação arqueológica de Monte Molião" está localizada num monte sobranceiro à rib.ª de Bensafrim.
Embora na actualidade já não se encontrem a descoberto quaisquer vestígios referentes a este sítio, o investigador algarvio Estácio da Veiga (1828-1891) investigou este local ainda durante a segunda metade do século XX no âmbito do levantamento da célebre Carta Archeologica do Algarve. Encontrou, então, diversos fragmentos cerâmicos, alguns exemplares de moedas romanas e o afamado "mercúrio de bronze". Mas para além deste espólio móvel, o conhecido arqueólogo oitocentista registou a existência de uma cisterna elíptica com mais de quatro metros de profundidade e quase sete metros de comprimento (eventualmente relacionada com algumas estruturas de habitat aqui detectadas), assim como uma amurada de consideráveis dimensões, cuja configuração parecia sugerir a sua utilização como fortificação. Informações estas que, no seu entender, pareciam atestar a presença de um povoado, precisamente neste sítio.
Não se resumiram, contudo, a estas evidências os artefactos identificados no local. Já no início do século XX, seria a vez de o Padre José Joaquim Nunes acompanhar de perto as escavações realizadas no local, ao longo das quais foi possível achar uma necrópole romana com rituais de inumação e incineração, possivelmente associada ao povoado, e cuja investigação seria retomada pelo arqueólogo figueirense Santos Rocha e por José Leite de Vasconcellos (1858-1941). Infelizmente, também desta realidade funerária se perderam os elementos relacionados com a sua localização precisa devido à enorme destruição do sítio provocada pela construção de uma estrada nacional.
[AMartins]

Bibliografia

Título

Arqueologia Romana do Algarve

Local

Lisboa

Data

1972

Autor(es)

SANTOS, Maria Luisa Estácio da Veiga Afonso dos

Título

Antiguidades Monumentais do Algarve, Arqueólogo Português

Local

Lisboa

Data

1910

Autor(es)

VEIGA, Sebastião Filipe Martins Estácio da