Saltar para o conteúdo principal da página

Forte (ruínas) no lugar de Paimogo - detalhe

Designação

Designação

Forte (ruínas) no lugar de Paimogo

Outras Designações / Pesquisas

Forte de Nossa Senhora dos Anjos de Paimogo / Forte no Lugar de Paimogo (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Forte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lourinhã / Lourinhã e Atalaia

Endereço / Local

- na Praia de Paimogo
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 41 191, DG, I Série, n.º 162, de 18-07-1957 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Forte de Nossa Senhora dos Anjos de Paimogo foi construído no contexto de guerra contra Espanha, após a proclamação da Independência de Portugal em 1640. Na sua origem esteve o conde de Cantanhede (mais tarde Marquês de Marialva), D. António Luís de Meneses, que promoveu a edificação do conjunto com vista a uma mais efectiva defesa desta parcela do território (que abrange, numa mesma linha de visibilidade, Peniche e a costa até à Serra de Sintra), em constante ameaça marítima por tropas espanholas, mas também por corsários e piratas ao serviço de outras coroas europeias.
Ao que tudo indica, a sua construção estaria concluída em 1674, sendo o forte de planta quadrangular, reforçada nas extremidades por guaritas de secção circular, cobertas por abóbada cónica.
O local onde se ergue o forte não é apenas importante no que diz respeito ao património edificado. Muito próximo, nas arribas fósseis que caracterizam a zona, foi identificada uma área de nidificação de dinossauros, onde se conservavam vários ovos e restos embrionários de terópodes e outros animais do Jurássico Superior.
PAF

Imagens