Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Paços de Ferreira - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Paços de Ferreira

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Paços de Ferreira(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Paços de Ferreira / Paços de Ferreira

Endereço / Local

Praça 25 de Abril (diante do edifício dos Paços do Concelho)
Paços de Ferreira

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Com referências documentais desde o século XI, a antiga Vila de Ferreira é mencionada nas Inquirições de 1258 como reguengo régio, situação que se manteve até ao século XVIII. Ferreira teve foral manuelino, datado de 1514, e da sua elevação a conselho quinhentista terá certamente resultado o levantamento de um pelourinho, do qual não resta qualquer vestígio. A actual cabeça do conselho de Paços de Ferreira é a freguesia de Santa Eulália, antigo couto do Mosteiro de Guimarães. Nunca teve foral, mas a segunda tentativa de criação do actual concelho de Paços de Ferreira, em 1836, determinuou que esta localidade fosse constituída como sua sede. O pelourinho de Paços de Ferreira ergue-se hoje diante do edifício oitocentista dos Paços do Conselho, em Santa Eulália. Porém, é plausível pensar que os elementos quinhentistas que integra, aproveitados de uma picota entretanto desaparecida, poderiam provir do pelourinho de Ferreira, já que em Santa Eulália não há notícia da existência de picota anterior a 1836.
O pelourinho ergue-se sobre uma singela plataforma de dois degraus quadrangulares, de aresta. Nela assenta directamente a coluna, com fuste cilíndrico e liso, encimado por capitel de cesto liso (variação do dórico) sobre astrágalo, e terminando em coxim circular e ábaco quadrangular. O remate consta de um bloco prismático em cuja face anterior está relevado um escudo de armas nacional coroado, sendo a coroa aberta, muito decorada, e de boas dimensões. As restantes faces são molduradas. No topo do remate destaca-se um pináculo rudemente talhado, representando possivelmente um elmo, enquadrado pela coroa.
O edifício dos Paços do Concelho foi erguido entre 1910 e 1918, sendo de supôr que o pelourinho foi levantado pela mesma altura. Em todo o caso, parece de facto aproveitar elementos arcaicos, como seja o remate e o coroamento.
O monumento é muito semelhante aos de Paredes e Louredo, também no distrito do Porto.
Sílvia Leite

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde