Saltar para o conteúdo principal da página

Castro de São Martinho, também conhecido por Povoado Fortificado da Portela da Bustarenga - detalhe

Designação

Designação

Castro de São Martinho, também conhecido por Povoado Fortificado da Portela da Bustarenga

Outras Designações / Pesquisas

Castro de São Martinho / Povoado da Portela da Bustarenga(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Castro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Paredes de Coura / Coura

Endereço / Local

- -
Portela da Bustarenga

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 15-07-1996

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Também conhecido por "Portela da Bustarenga", o "Castro de S. Martinho" ergue-se de forma destacada nas proximidades da localidade de Coura, de onde desfruta de um bom domínio sobre a paisagem envolvente, essencial aos objectivos defensivos distintivos da sua edificação.
Construído durante a Idade do Ferro estabelecida para o Noroeste peninsular, à semelhança de outros exemplares da região (Cf., por exemplo, SILVA, M. de F. M., 1994), no âmbito da denominada cultura castreja, o povoado surge numa zona particularmente propícia à sobrevivência e continuidade do estabelecimento humano, a exemplo dos recursos naturais tão abundantes no actual termo de Paredes de Coura, sobretudo no que respeita à boa qualidade dos solos agricultáveis e à presença de várias matérias primas, tais como o barro, a pedra e o metal.
E apesar de ainda ser difícil caracterizar arqueologicamente o sítio, em razão de se encontrar completamente coberto por densa vegetação, a verdade é que foram recolhidos no local artefactos indicadores de uma realidade bem presente noutros testemunhos "castrejos".
Referimo-nos, em concreto, à reutilização do seu espaço já durante o período de romanização do território, num indício evidente das suas potencialidades estratégicas, nomeadamente no que se referia ao domínio visual sobre as vias que se rasgavam adjacentemente.
Mas não só. Com efeito, o prolongamento da sua ocupação neste período poderá apontar de igual modo para um reforço da autoridade emanada de Roma, como meio, enfim, de sobrepor o novo poder às estruturas anteriores, através da reapropriação de lugares aduzidos de profunda simbologia pelas e para as gentes locais, independentemente da natureza dessa mesma carga e do(s) seu(s) propósito(s).
Uma constatação que, além de se basear na identificação, no local, de materiais de construção romana, como tegulae - telhas rectangulares - e imbrex - telhas em forma de meia cana -, se apoia no facto de passar nas imediações deste povoado de altura a IV via militar romana (também conhecida por "Via romana de Braga a Tui) que, durante a Antiguidade clássica (Cf. SANTOS, L. A. dos, 1980), perfazia a ligação entre localidades tão importantes, quanto as de Bracara Augusta (Braga) e Asturica Augusta (Astorga), e que mereceu, logo em 1910, a sua inclusão no primeiro diploma português de classificação de estruturas antigas como "monumento nacional", numa comprovação de como, apesar das adversidades, o exercício arqueológico desbravava caminho entre nós, graças à iniciativa e à influência de gratas figuras dos seus primórdios.
[AMartins]

Bibliografia

Título

Os miliários da estrada romana de Braga a Tuy, Distrito de Braga

Local

Braga

Data

1982

Autor(es)

ARAÚJO, José Rosa de

Título

Miliários inéditos da via romana de Braga a Tuy : algumas considerações, Sep. Rev. Arquivo do Alto Minho, 24

Local

Braga

Data

1980

Autor(es)

SANTOS, Luciano A. dos

Título

Carta Arqueológica do concelho de Paredes de Coura - uma perspectiva de arqueologia espacial, Actas do 1º Congresso de Arqueologia Peninsular

Local

Porto

Data

1994

Autor(es)

SILVA, Maria de Fátima Matos

Título

Estudo, conservação, restauro, dinamização e divulgação do povoamento castrejo da Bacia Superior do Rio Coura: primeiros resultados, Actas do 1.º Congresso de Arqueologia Peninsular

Local

Porto

Data

1994

Autor(es)

SILVA, Maria de Fátima Matos

Título

Campo internacional de arqueologia estuda Cividades de Romarigães e Cossourado, Boletim Municipal de Paredes de Coura

Local

Paredes de Coura

Data

1996

Autor(es)

SILVA, Carlos Alberto Gouveia da

Título

Breve viagem pelo património arqueológico do concelho, Boletim Municipal de Paredes de Coura

Local

Paredes de Coura

Data

1996

Autor(es)

SILVA, Maria de Fátima Matos, SILVA, Carlos Alberto Gouveia da

Título

O gabinete de arqueologia e património da Câmara Municipal de Paredes de Coura, Cadernos de Arqueologia e Património

Local

Paredes de Coura

Data

1992

Autor(es)

SILVA, Maria de Fátima Matos