Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja e claustro do Convento do Carmo - detalhe

Designação

Designação

Igreja e claustro do Convento do Carmo

Outras Designações / Pesquisas

Igreja e Claustro do Convento do Carmo / Convento de Nossa Senhora do Carmo (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Beja / Moura / Moura (Santo Agostinho e São João Baptista) e Santo Amador

Endereço / Local

Avenida do Carmo
Moura

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 33 587, DG, I Série, n.º 63, de 27-03-1944 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Convento do Carmo de Moura foi o primeiro cenóbio da Ordem dos Carmelitas fundado em Portugal, e em toda a Peninsula Ibérica, ainda em 1251. Destinava-se a receber os capelães dos Militares de São João de Jerusalém, regressados da Terra Santa, que receberam o convento justamente por doação dos cavaleiros desta Ordem. Deste convento eram originários os monges que viriam a fundar a grande casa conventual do Carmo de Lisboa, iniciativa do Condestável D. Nuno Álvares Pereira, que segundo parece terá também nomeado pessoalmente os freires que deviam transitar para a nova casa. Sabe-se ainda que o convento contava, em 1421, com quarenta e dois religiosos, e que foi a partir deste que os Carmelitas, a par da difusão por todo o país, partiram também em missão evangelizadora para o Brasil.
Dos primitivos edifícios de Moura, em estilo gótico, pouco resta na actualidade, uma vez que o conjunto sofreu grandes transformações ao longo do século XVI, estas bem patentes numa série de elementos decorativos manuelinos e renascentistas, que coexistem com os parcos vestígios góticos. Merece particular realçe o pórtico renascença da igreja, e também os azulejos setecentistas da nave. SML

Imagens