Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Gostei - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Gostei

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Gostei (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Bragança / Bragança / Gostei

Endereço / Local

Largo da Igreja Matriz
Gostei

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O lugar de Goestei , ou Goestey , actual freguesia de Gostei, foi um curato anexo ao Mosteiro de São Bento de Castro de Avelãs até 1290, quando os monges permutaram com a Coroa a aldeia de Outeiro de Moás por este território (juntamente com a vizinha localidade de Castanheira). No ano anterior tivera foral dado por D. Dinis, em cujo documento aparece a grafia Gustei , e pelo qual se forma justamente o concelho de "Gostei e Castanheira". O concelho veio a pertencer à Casa de Bragança, mantendo sempre autonomia administrativa judicial. Foi extinto no século XIX, vindo a integrar o concelho de Bragança. Conserva um velho pelourinho, levantado no largo fronteiro à Igreja Matriz.
O pelourinho levanta-se sobre plataforma de dois degraus quadrangulares de aresta, bastante desgastado e restaurado, sendo o degrau térreo constituído por dupla fileira de blocos. A base da coluna é um bloco sensivelmente quadrangular, de aparelho rústico, com arestas superiores boleadas. O fuste é cilíndrico e liso, e relativamente curto, sendo encimado por um singelo remate em pirâmide quadrada saliente, com arestas pouco definidas, e topo boleado.
O conjunto é muito simples, configurando um rude pelourinho de "coluço", que alguns autores têm considerado românico. A sua datação é imprecisa, existindo exemplares semelhantes provavelmente erguidos ao longo da Idade Média, e outros durante o século XVI. Em todo o caso, deve referir-se que as localidades bragantinas de Sanceriz e Vila Franca de Lampaças, com pelourinhos idênticos, compartilham com Gostei o facto de terem recebido forais de D. Dinis, de finais do século XIII.
Sílvia Leite

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde