Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja da Misericórdia de Tentúgal - detalhe

Designação

Designação

Igreja da Misericórdia de Tentúgal

Outras Designações / Pesquisas

Edifício e Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Tentúgal (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Montemor-o-Velho / Tentúgal

Endereço / Local

Rua Dr. Armando Gonçalves
Tentúgal

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 37 728, DG, I Série, n.º 4, de 5-01-1950 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Instituída em 6 de Março de 1583 por alvará régio de D. Filipe I a irmandade da Misericórdia de Tentúgal iniciou a edificação da sua igreja alguns meses depois, sendo a autoria da sua traça atribuída ao escultor Tomé Velho, discípulo de João de Ruão, que executou também as esculturas do portal e o retábulo-mor (GONÇALVES, Carla, 1992, p.115). A fachada ficava terminada em 1588, mas as obras do templo iriam arrastar-se por mais alguns anos. Em 1595 avançava-se na construção da sacristia e no ano seguinte iniciava-se a execução do retábulo-mor, que se concluíu em 1600. A igreja foi objecto de obras de melhoramento entre 1685 e 1694, dirigidas pelo arquitecto Francisco Rodrigues, na mesma época em que era edificada a Casa do Despacho.
A igreja da Misericórdia de Tentúgal apresenta um modelo estrutural maneirista, de linhas sóbrias e gosto depurado, cujo elemento decorativo de maior destaque na fachada é o portal, em arco pleno, inserido numa estrutura retabular. Com duas arquivoltas decoradas por cabeças aladas, cartelas, mascarões e motivos vegetalistas, é ladeado por duas colunas coríntias de fuste canelado e rematado por entablamento. Sobre este foi rasgada janela rectangular ladeada por aletas e encimada por edícula com a imagem de Nossa Senhora da Misericórdia gravada em relevo. Esta estrutura deriva do modelo de portal-retábulo concebido por João de Ruão, que a arquitectura maneirista acabaria por adoptar, embora lhe desse formas mais depuradas ao nível ornamental.
Os contrafortes que rematam lateralmente o corpo da igreja são coroados por pináculos, e o pano murário termina em empena, entrecortada por cruz de pedra. Na fachada lateral esquerda foi adossada a torre sineira, de planta rectangular, com portal de moldura rectangular simples, coroado por coruchéu ladeado por pináculos.
Interiormente, a Misericórdia de Tentúgal apresenta um modelo muito semelhante às igrejas de Misericórdia construídas na mesma época, com planta de nave única, formando um espaço unitário articulado com a sacristia. No entanto, este templo tem a particularidade de ser um dos poucos na região do Baixo-Mondego que possui presbitério, e sobre o qual foi edificado o retábulo-mor. Na zona inferior do presbitério foi colocado um grupo escultórico representando a Deposição no Túmulo, evidentemente inspirado nas Deposições ruanescas.
O retábulo, que oferece "uma visão espectacular, quase teatral" (GONÇALVES, Carla, 1992, p.122), divide-se num esquema edicular, característico dos retábulos maneiristas. No primeiro registo foi colocado ao centro o grupo escultórico representando a Visitação, ladeado por relevos da Anunciação, Sonho de São José, Natividade de São João e Presépio, e pelas imagens de São Pedro e de um Santo Padre. Nos intercolúnios foram colocadas as imagens dos Doutores da Igreja, Santo Agostinho, São Jerónimo, São Gregório e Santo Ambrósio. No registo superior foi esculpido ao centro o relevo de Nossa Senhora da Misericórdia, ladeada pela Adoração dos Magos e Apresentação no Templo. este registo é rematado lateralmente pelos relevos de São Domingos e a Estigmatização de São Francisco. A predela do rétabulo foi decorada com anjos que carregam os símbolos do Martírio e a figura de São João Baptista.
O edifício da Casa do Despacho segue o modelo chão aplicado à arquitectura civil edificada no final do século XVII. De planta rectangular, a fachada é dividida em dois pisos. O primeiro apresenta ao centro portal de moldura rectangular ladeado por pilastras e encimado por friso decorado e brasão com escudo nacional. No segundo registos foram rasgadas quatro janelas de sacada com varandim de ferro, que marcam o ritmo da fachada. O edifício é delimitado lateralmente por contrafortes.
Catarina Oliveira
GIF/ IPPAR/2004

Imagens

Bibliografia

Título

Guia de Portugal, Beira II - Beira Baixa e Beira Alta

Local

Lisboa

Data

1984

Autor(es)

DIONÍSIO, Sant'Ana

Título

Inventário Artístico de Portugal: distrito de Coimbra

Local

Lisboa

Data

1952

Autor(es)

GONCALVES, António Nogueira, CORREIA, Vergílio

Título

A vila de Tentúgal - memórias históricas

Local

Coimbra

Data

2002

Autor(es)

GÓIS, António Correia de

Título

Thomé Velho, escultor e arquitecto do Maneirismo coimbrão, Revista Munda, n.º 23

Local

Coimbra

Data

1992

Autor(es)

GONÇALVES, Carla Alexandra

Título

Santas e casas - as Misericórdias do Baixo-Mondego e as suas igrejas nos séculos XVI e XVII

Local

Coimbra

Data

1995

Autor(es)

CARDOSO, João José Ferreira da Silva

Título

A oficina de Tomé Velho, construtor e escultor do Maneirismo coimbrão, Actas do VI Simpósio Luso-Espanhol da História de Arte

Local

Tomar

Data

1996

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

A escultura de Coimbra - do Gótico ao Maneirismo

Local

Coimbra

Data

2003

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

A Arquitectura do Ciclo Filipino

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

SOROMENHO, Miguel

Título

Retábulos das Misericórdias Portuguesas

Local

Faro

Data

2009

Autor(es)

LAMEIRA, Francisco