Saltar para o conteúdo principal da página

Solar dos Melos e Castro, respectiva ermida e terreno adstrito ao solar - detalhe

Designação

Designação

Solar dos Melos e Castro, respectiva ermida e terreno adstrito ao solar

Outras Designações / Pesquisas

Solar dos Melos e Castros(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Solar

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Bombarral / Roliça

Endereço / Local

-- -
São Mamede

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 8/83, DR, I Série, n.º 19, de 24-01-1983 (ver Decreto)
Edital de 4-03-1982 da CM do Bombarral
Despacho de concordância de 29-01-1982 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 22-01-1982 do ógão consultivo do IPPC a propor a classificação como IIP
Em 11-06-1981 a CM do Bombarral enviou documentação complementar
Em 5-06-1981 foi solicitado à CM do Bomarral o envio de documentação para instruir um processo de classificação do imóvel, informando que o mesmo passava a estar "em vias de classificação"

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O solar da família Melo e Castro foi edificado na década de 40 do século XVI, por Martim Afonso de Melo e Castro Zuzarte, capitão das Índias, que mandou também construir a Capela de São Lourenço, à época a igreja privativa da propriedade.
O edifício construído apresenta uma estrutura de gosto italiano muito erudita, derivada da renovação dos modelos de arquitectura civil que se verificou em Portugal a partir de meados da centúria. A planta do edifício primitivo é composta por três corpos quadrangulares, marcados pela disposição de torres nos ângulos do edifício, formando um conjunto em L, onde se destacam a regularidade e simetria característicos dos modelos renascentistas.
Junto ao solar apresentam-se vestígios da existência de uma casa de fresco , um elemento que "(...) passa também a desempenhar um papel importante no conjunto arquitectónico das casas senhoriais (...)" quinhentistas (AZEVEDO, Carlos, 1988, p. 49).
Nas centúrias seguintes, a estrutura primitiva da casa seria alterada pela edificação de um corpo paralelo ao edifício principal, que transformou a disposição da planimetria em U, fechando o pátio da casa.
Tal como indicam duas lápides comemorativas colocadas no interior da casa, o edifício foi objecto de duas visitas reais na década de 80 do século XVIII. Terá sido por ocasião das visitas da Rainha D. Maria I e dos Príncipes que a propriedade foi reformada, tendo sido remodelada a fachada principal e o portal de acesso ao pátio da casa.
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/2005

Bibliografia

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

O Bombarral e o seu concelho: subsídios para a sua história

Local

Bombarral

Data

1982

Autor(es)

RAMOS, Augusto José