Saltar para o conteúdo principal da página

Casa de Vale de Flores ou de Infias - detalhe

Designação

Designação

Casa de Vale de Flores ou de Infias

Outras Designações / Pesquisas

Casa de Ínfias / Casa de Vale de Flores / Casa de Infias (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Braga / Braga (São Vicente)

Endereço / Local

Largo de Ínfias
Braga

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Casa de Ínfias foi edificada no último quartel do século XVII por João Borges Pereira Pacheco, fidalgo da Casa Real e Cavaleiro da Ordem de Cristo. O solar, disposto segundo planimetria em U de inspiração francesa, é considerado o "exemplo da casa nobre seiscentista", quer pela regularidade da planta quer pela sobriedade das fachadas (AZEVEDO, Carlos, 1988, pp. 57-60).
A planta da casa é fechada pela disposição do portão nobre, que através do muro onde se insere, une as alas laterais, ficando desta forma o edifício inserido num grande rectângulo que comporta ao centro um pátio. Tal como era habitual na época, os andares da casa estavam divididos segundo as suas funções específicas. O piso térreo albergava as divisões destinadas aos serviços da casa, o andar nobre acolhia o espaço habitacional.
À semelhança do que acontecia noutros exemplares de arquitectura solarenga da época, também na Casa de Ínfias a capela privada tem um papel preponderante no conjunto. Dedicada a Nossa Senhora do Pilar, esta capela era pertença do Bispo de Elvas D. Alexandre da Silva, passando para a posse da irmã D. Natália da Silva após a sua morte, que mais tarde deixou o templo à Irmandade de Santa Cruz (COSTA, Luís, 1998, p. 44).
João Borges Pereira Pacheco adquiriu a capela à irmandade cerca de 1687, época em que a casa estava em construção, colocando uma inscrição evocativa do seu padroado sobre a porta do templo. Situada numa das alas laterais, a capela foi integrada no conjunto da casa de forma harmoniosa, não perturbando a "simetria e equilíbrio do todo" (AZEVEDO, Carlos, 1988, p. 58).
Catarina Oliveira
IPPAR/2005

Imagens

Bibliografia

Título

Palácios e solares portuguezes (Col. Encyclopedia pela imagem)

Local

Porto

Data

1900

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

Braga - roteiro histórico e monumental

Local

Braga

Data

1998

Autor(es)

COSTA, Luís

Título

Cozinhas. Espaço e Arquitectura

Local

Lisboa

Data

2006

Autor(es)

PEREIRA, Ana Marques