Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Redondo - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Redondo

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Redondo (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Redondo / Redondo

Endereço / Local

Largo de D. Dinis (está presentemente apeado)
Redondo

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
O que resta do antigo pelourinho encontra-se implantado na Praça D. Dinis junto às muralhas do castelo, junto da sua porta Sul. Trata-se de um monumento em calcário, constando de um fuste cilíndrico estriado de inspiração dórica rematado por pinha torsa. O pelourinho assenta numa peanha quadrangular e três degraus.

História
O primeiro foral do Redondo foi outorgado em 1250 por D. Afonso III, ampliado e confirmado em 1318 por D. Dinis. Em 1516, D. Manuel concede Foral Novo à vila, na sequência da qual se deverá ter erguido o pelourinho atualmente classificado, provavelmente diante da antiga Casa da Câmara e cadeia comarcã, ainda no castelo. Em meados do séc. XVIII, efetuada a construção dos novos Paços do Concelho, na atual Praça da República (então Rossio da vila), foi aí levantado o pelourinho, segundo acordo da Vereação de 23 de Março de 1768 (Túlio Espanca, 1975), que permaneceu no local até finais do séc. XIX, após o que foi retirado e recolhido pela câmara. No processo perderam-se várias peças, ficando isso evidente em 1940, quando o monumento foi reerguido, embora incompleto, no pequeno Largo de D. Dinis onde ainda hoje permanece.
No momento da sua remontagem restavam a coluna, um simples fuste cilíndrico e estriado e o remate, ou parte deste.

Sílvia Leite/Revisto por Maria Ramalho/DGPC/2019.

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal - vol. IX (Distrito de Évora, Zona Sul, volume I)

Local

Lisboa

Data

1978

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

Album Alentejano, vol. II

Local

Lisboa

Data

1931

Autor(es)

MURALHA, Pedro

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde