Saltar para o conteúdo principal da página

Anta da Quinta das Longas - detalhe

Designação

Designação

Anta da Quinta das Longas

Outras Designações / Pesquisas

Anta da Quinta das Longas(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Anta - Circuitos Arqueológicos Antas de Elvas

Inventário Temático

Circuitos Arqueológicos "Antas de Elvas"

Localização

Divisão Administrativa

Portalegre / Elvas / São Vicente e Ventosa

Endereço / Local

Quinta das Longas
-

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Os monumentos megalíticos da região de Elvas são conhecidos desde, pelo menos, finais do século XIX. Datam, precisamente, desta época os primeiros estudos efectuados nalgumas das suas antas por nacionais e estrangeiros, como nos casos ao eminente pré-historiador francês Émille Cartailhac (1845-1921) e do fundador da Real Associação dos Architectos Civis e Archeologos Portuguezes, J. Possidónio N. da Silva (1806-1896). O interesse então suscitado, quer pela arquitectura destas construções, como pelo vasto e ecléctico espólio obtido com as suas escavações, teve como resultado mais imediato a transformação de algumas antas num alvo preferencial dos denominados "caçadores de tesouros", que as danificaram parcialmente. Em contrapartida, as informações entretanto divulgadas no seio da imprensa mais ilustrada de oitocentos, contribuiu para o surgimento de um sucessivo conjunto de investigadores que, na senda daqueles primeiros, as visitaram e estudaram, embora de forma nem sempre consecutiva. De facto, volvidas que estavam mais de duas décadas sobre a deslocação efectuada por José Leite de Vasconcelos (1858-1941) a esta região (1916), é que outros arqueólogos conceituados visitaram (1938), oito das antas de Barbacena, permitindo, em boa parte, a sua classificação logo no ano seguinte, como "Monumento Nacional". Desde então até, sensivelmente, meados da década de cinquenta, efectuaram-se diversas escavações na área, tendo sido o espólio encontrado conduzido para diferentes núcleos museológicos, como o Municipal de Elvas, da Fundação da Casa de Bragança, em Vila Viçosa, e dos Serviços Geológicos, em Lisboa. Todavia, e após o exaustivo estudo e inventariação realizados por Georg e Vera Leisner, as antas caíram num certo esquecimento, quer no seio dos próprios investigadores, quer, sobretudo, no das autoridades às quais competia velar pela sua conservação. Entretanto, em 1989, deu-se início a uma abordagem específica sobre estes monumentos, tendo o IPPAR avançado, no ano de 1997, com o "Projecto de Recuperação e Valorização das Antas de Elvas", culminando com a abertura ao público dos denominados circuitos do "Guadiana" e de "Barbacena".

Presentemente "Em Vias de Classificação", a "Anta da Quinta das Longas" foi erguida durante o Neo-calcolítico da região (entre o 4.º e 2.º milénio a. C.), de forma relativamente isolada num terreno actualmente rodeado por um vasto olival. Desta estrutura megalítica de grandes dimensões são hoje apenas visíveis quatro dos esteios (alguns dos quais in situ) que comporiam originalmente a respectiva câmara sepulcral, além de vestígios da primitiva mamoa, ou tumulus, que a cobriria total ou parcialmente, cujo desmoronamento se terá ficado a dever aos sucessivos trabalhos agrícolas efectuados no local ao longo dos tempos.
Entretanto, em 1994, procedeu-se à sua relocalização, enquanto, já em 1998 a anta foi integrada no "Projecto de Valorização e Recuperação dos Monumentos Megalíticos de Elvas", efectuando-se, então, a sua limpeza e controle da vegetação que o envolvia.
Presentemente, a anta integra o "Circuito de Barbacena" do roteiro da Arqueologia Portuguesa "Antas de Elvas", concebido pelo IPPAR, com vista a uma maior divulgação deste vasto e específico património construído.
[AMartins]

Bibliografia

Título

Die Megalithgraber der Iberischen Halbinsel: der Westen, Madrider Forschungen

Local

Berlim

Data

1959

Autor(es)

LEISNER, Vera, LEISNER, Georg Klaus

Título

Antas de Elvas

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

DIAS, Ana Carvalho, ALBERGARIA, João Carlos

Título

A ocupação pré-histórica da Quinta das Longas (S. Vicente e Ventosa, Elvas), Revista Portuguesa de Arqueologia

Local

Lisboa

Data

2003

Autor(es)

CARVALHO, António, GONCALVES, Victor Manuel dos Santos, POMBAL, Susana