Saltar para o conteúdo principal da página

Casa de Pascoais - detalhe

Designação

Designação

Casa de Pascoais

Outras Designações / Pesquisas

Casa de Pascoaes / Quinta e Casa de Pascoaes / Casa de Pascoais(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Amarante / Amarante (São Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão

Endereço / Local

-- a cerca de 2 km de Amarante
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

É nas proximidades da cidade de Amarante que se ergue a "Casa de Pascoais", solar mandado construir no século XVII por João Mendes de Vasconcelos e Queirós, até que, em 1808, foi incendiado durante as invasões francesas, remanescendo da fábrica original a capela, com entrada voltada para o terreiro, procedendo-se à reconstrução do imóvel em meados da centúria.
Intervenções estas que, no conjunto, conferiram a esta casa nobilitada a feição ecléctica que assume, sobretudo ao nível dos interiores, congregando, deste modo, linguagens arquitectónicas e decorativas tão diversificadas quanto a maneirista, a neoclássica e a revivalista de oitocentos.
Através de álea composta de canteiros de buxo e laranjeiras, chega-se ao imponente portal, em arco abatido, encimado por cornija sobrepujada por bustos masculinos, ostentando pedras de armas encimada por estátua. Transpondo-o, atravessando-se o pátio ladeado pela residência desenvolvida em dois registos rasgados por portas e janelas de sacada com guarda de ferro e de peitoril, formando um 'U', integrando a capela, conduzindo à escadaria granítica e revestida a azulejos executados a azul e amarelo, de padrão seiscentista, de acesso ao seu interior, de contornos quase labirínticos, assim como a um amplo alpendre aberto sobre os jardins distribuídos em patamares, de acordo com a topografia do local (ritmado por bancos e alegretes), o chafariz de taça floral, a denominada 'Fonte dos Golfinhos' e a própria vinha, e da qual se pode admirar a beleza do Rio Tâmega e da Serra do Marão.
É, justamente, num dos três nichos em arco pleno rasgados na parte inferior da varanda voltada para o pomar que se encontra a denominada "casa de fresco", um dos elementos mais presentes nos jardins maneiristas, formada por bancos, fonte com carranca e estatuária.
Não obstante a riqueza arquitectónica que envolve o conjunto completado por estruturas agrícolas, a 'Casa de Pascoais' deve, em grande parte, o seu brilho à presença de Joaquim Pereira Teixeira de Vasconcelos (1877-1952), mais conhecido por Teixeira de Pascoaes, apelido último este que foi buscar, justamente, à designação da 'Casa', onde conviveu com algumas das personalidades mais marcantes da cultura portuguesa de finais do século XIX, inícios do XX, com destaque para Raul Brandão (1867-1930) e o filósofo, novelista e poeta Miguel de Unamuno (1864-1936).
Na actualidade, o primeiro piso encontra-se reservado a turismo de habitação.
[AMartins]

Bibliografia

Título

Nobres Casas de Portugal

Local

Porto

Data

1958

Autor(es)

SILVA, António Lambert Pereira da

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

Cozinhas. Espaço e Arquitectura

Local

Lisboa

Data

2006

Autor(es)

PEREIRA, Ana Marques