Saltar para o conteúdo principal da página

Casa da Boavista, incluindo o jardim e os elementos decorativos que este contém - detalhe

Designação

Designação

Casa da Boavista, incluindo o jardim e os elementos decorativos que este contém

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Solar

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Celorico de Basto / Veade, Gagos e Molares

Endereço / Local

- -
Outeiro

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Desfrutando de uma implantação privilegiada, com vista para o vale e jardins em patamares com buxos e japoneiras de espécies raras (algumas centenárias), podadas conforme é característico os denominados jardins de Basto, a Casa da Boavista, tal como a conhecemos hoje, remonta à reconstrução levada a cabo no final do século XVIII por Manuel Luís Teixeira de Carvalho, bacharel em Direito e capitão-mor das Ordenanças de Veade (SILVA, 1958, p. 36). As referências a esta propriedade são, no entanto, bem anteriores, recuando aos anos de 1500, ou mesmo antes, com pretendem alguns autores (SILVA, 1958, p. 36; 1981, p. 23). Na verdade, os documentos mais antigos que se conhecem mencionam, nos anos referidos, Miguel Pires da Silva, como Senhor da casa da Boavista (SILVA, 1958, p. 36; STOOP, 2000, p. 207).
Terão sido as armas concedidas em 1791, a par da fortuna herdada pelo seu casamento, em 1789, com D. Ana Maria Teixeira de (Barros) Carvalho, que motivaram Manuel Luís Teixeira de Carvalho a remodelar a casa familiar, exibindo o brasão em lugar de destaque, sobre a porta principal, como símbolo de prestígio e poder.
A fachada principal, de dois andares, é aberta por uma sucessão de vãos simétricos, destacando-se, naturalmente, as janelas do andar nobre, de verga curva. Acede-se à porta principal, situada ao nível do piso superior, através de uma escadaria recta, sobre arcada, e cuja guarda é marcada por volutas e pináculos. De acordo com os estudos de Anne de Stoop, esta é uma solução de gosto clássico e de alguma forma arcaizante, encontrando-se noutros solares de época bem anterior (STOOP, 2000, p. 208).
Nos extremos da fachada erguem-se, sobre a linha do telhado, mansardas ou pavilhões, que não deixam de recordar as torres e as denominadas casa-torre, de época medieval, mas cujo modelo foi recuperado no período barroco (AZEVEDO, 1969). Sobre o beirado, elevam-se múltiplos pináculos, que se repetem na capela, conferindo unidade ao conjunto.
Em ângulo com a casa, a capela dedicada a São José, apresenta uma fachada de linguagem mais movimentada, articulando, numa composição única, o portal e o janelão que se lhe sobrepõe. Este, eleva a linha da cornija, que acompanha o seu desenho contracurvado, repetido no frontão que remata o alçado. O interior é já neoclássico, gosto bem presente no retábulo-mor, de talha dourada e branca.
Uma última referência para os jardins, delimitados, no pátio fronteiro à fachada principal, por balaustres de cantaria e preenchido por canteiros de buxo. Noutras áreas, desenvolvem-se em patamares definidos por escadas e balaustradas, com tanques de granito envolvidos por japoneiras e composições de buxo, de formas fantasiosas, cuja cultura da topiaria, de influência inglesa, e introduzida na região pelas irmãs Pinto Basto, tanto caracterizaram os jardins de Basto.
Toda a propriedade é delimitada por um muro, aberto pelo portão principal, com dois torreões de granito, e rematado por um frontão com grinalda de ferro.
(Rosário Carvalho)

Bibliografia

Título

Nobres Casas de Portugal

Local

Porto

Data

1958

Autor(es)

SILVA, António Lambert Pereira da

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

Palácios e casas senhoriais do Minho

Local

Porto

Data

2000

Autor(es)

STOOP, Anne de

Título

Casas antigas do Concelho de Celorico de Basto

Local

Celorico de Basto

Data

1981

Autor(es)

-

Título

Últimas Gerações de Entre Douro e Minho

Local

-

Data

1931

Autor(es)

MACHADO, José de Sousa

Título

Casas Senhoriais Portuguesas

Local

sl

Data

1986

Autor(es)

AZEVEDO, Francisco de