Saltar para o conteúdo principal da página

Casa da Câmara Municipal de Abrantes - detalhe

Designação

Designação

Casa da Câmara Municipal de Abrantes

Outras Designações / Pesquisas

Câmara Municipal de Abrantes (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Abrantes / Abrantes (São Vicente e São João) e Alferrarede

Endereço / Local

Praça Raimundo Soares
Abrantes

Número de Polícia: 24-26

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)
Edital de 2-01-1976 da CM de Abrantes
Despacho de homologação de 18-03-1975 do Secretário de Estado da Cultura e Educação Permanente
Parecer favorável de 7-03-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE
Proposta do delegado da JNE no concelho para a classificação como IIP

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Antes do início do século XVII, a Câmara da vila de Abrantes não possuía sede própria, funcionando as sessões do executivo camarário num prédio arrendado. Em 1605 o rei Filipe II dava autorização ao Concelho para construir as Casas da Câmara e Audiências, a expensas das sisas pagas pelos moradores nos anos anteriores, às quais era acrescida uma percentagem retirada das rendas concelhias. Iniciava-se então a edificação dos Paços do Concelho, terminados em 1609. Cerca de cem anos depois, entre 1715 e 1717, D. João V ordenava que se fizessem novas obras no edifício, que se encontrava em ruínas, sendo designado como responsável pelas mesmas o pedreiro Manuel Luís da Silva. Esta campanha de obras de remodelação originaram uma alteração na fisionomia do edifício, uma vez que desapareceram as varandas alpendradas que possuía. Até 1767 a casa iria receber regularmente obras de manutenção e remodelação.
Com planta rectangular, a Casa da Câmara apresenta fachadas divididas em três registos. A fachada principal possui no primeiro registo três portais em arco abatido, arquitravados, aos quais correspondem no segundo registo três janelas quadrangulares de moldura recta com parapeito gradeado. Sobre estas, no último registo, foram abertas três janelas de sacada de moldura rectangular arquitravada, com guarda de ferro e balcão apoiado em cachorros. A fachada é delineada lateralmente por dois contrafortes, que possuem ao nível do terceiro registo dois escudos com as armas da cidade de Abrantes inseridos em cartelas maneiristas.
As fachadas laterais apresentam-se também divididas em três registos, possuindo no primeiro porta de moldura rectangular e três janelas rectangulares. No segundo registos foram rasgadas cinco janelas de moldura quadrangular arquitravada, e o último registo possui cinco janelas de sacada de moldura rectangular arquitravada com guardas de ferro.
Interiormente, o piso térreo possui um átrio decorado por painéis de azulejos figurativos, oriundos da Fábrica Viúva Lamego. O acesso aos pisos superiores faz-se pela fachada lateral direita, através de uma escada de dois lances com patamar intermédio. O piso superior conserva ainda o salão nobre, virado à fachada do edifício, coberto por tectos em caixotão de madeira, ao qual se seguem, para o interior do edifício, três salas menores.
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/ 15 de Abril de 2004

Imagens

Bibliografia

Título

Memória Histórica da Notável Vila de Abrantes

Local

Abrantes

Data

2002

Autor(es)

MORATO, António Manuel