Saltar para o conteúdo principal da página

Ermida de São Lourenço - detalhe

Designação

Designação

Ermida de São Lourenço

Outras Designações / Pesquisas

Ermida de São Lourenço(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Ermida

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Abrantes / Abrantes (São Vicente e São João) e Alferrarede

Endereço / Local

Lugar de São Lourenço
Abrantes

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)
Edital de 2-01-1976 da CM de Abrantes
Despacho de homologação de 18-03-1975 do Secretário de Estado da Cultura e Educação Permanente
Parecer favorável de 7-03-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE
Proposta do delegado da JNE no concelho para a classificação como IIP

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Da invocação primitiva de Santa Catarina (MORATO, MOTA, 1981, p. 183), esta ermida, situada nos arredores da Abrantes, conserva ainda elementos iconográficos recordando este primeiro orago. É um pequeno templo com planta rectangular e capela-mor quadrada, de clara tipologia manuelina, embora possivelmente erguido sobre um edifício anterior. Alguns elementos atestam a origem quinhentista, de inícios do século, do edifício; entre eles conta-se a arquivolta redonda do portal, decorada com boleados e esferas com cruz (de Malta?), os pináculos cónicos que rematam o sistema de contrafortagem da capela-mor (do qual só restam vestígios), ou os arcos em asa-de-cesto, de evocação mudéjar, que vazam a alpendrada na fachada principal.
No interior destaca-se a abóbada estrelada, com artesões, da capela-mor, e o revestimento do altar-mor, feito com um painel de azulejos de aresta de tipologia hispano-mourisca, semelhantes ao mosaico do pavimento, onde sobressaem representações do emblema de Santa Catarina - uma roda cravejada de lâminas aguçadas.
A situação isolada da capela levou a que, no reinado de D. Sebastião, fosse construído um hospício frente a esta, destinado a acolher as vítimas da peste que ora grassava na vila. Aí se instalava então a Paróquia de São Vicente, enquanto o seu antiquíssimo templo era reconstruído. O seu vigário, tendo entretanto morrido, chegou mesmo a ser sepultado na ermida. Em todo o caso, esta situação de sede paroquial durou pouco, uma vez que logo em 1570 a vigaria de São Vicente passava para a Capela de Santa Iria.
Dado que se conhece notícia de uma primitiva ermida dedicada a São Lourenço ainda em 1430, data demasiado recuada para a construção que hoje podemos ver, é legítimo supor que o templo manuelino terá aproveitado este edifício, mantendo-se na tradição a dupla evocação do local. A capela ergue-se justamente na vizinhança da freguesia de São Lourenço de Abrantes, e as festas anuais em honra do santo decorrem num largo fronteiro; já é praticamente desconhecida a denominação de Santa Catarina.SML