Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja paroquial da freguesia de Ferreirim - detalhe

Designação

Designação

Igreja paroquial da freguesia de Ferreirim

Outras Designações / Pesquisas

Mosteiro de Ferreirim / Convento de Ferreirim / Igreja de Santo António, paroquial de Ferreirim/ Igreja do Convento de Santo António de Ferreirim / Convento de Santo António de Ferreirim / Igreja Paroquial de Ferreirim / Igreja de Santo António(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Lamego / Ferreirim

Endereço / Local

EN 226 (ao km 144,8, em direcção a Ferreirim)
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 33 587, DG, I Série, n.º 63, de 27-03-1944 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Construído nos finais da Idade Média por iniciativa dos últimos Condes de Marialva, cujo túmulo se conserva ainda no interior da igreja, o Mosteiro de Santo António de Ferreirim deve o seu aspecto actual a uma reforma integral produzida durante a primeira metade do século XVI. Em 1525 a Casa foi entregue à Ordem de São Francisco, entrando os primeiros monges dois anos depois. Em 1532 deu-se início à construção da igreja, obra filiada numa mescla estilística manuelino-renascentista com elementos platerescos.
No século XVIII, novas obras de remodelação transformaram substancialmente a obra quinhentista, como o demonstra a construção da galilé setecentista, símbolo de austeridade decorativa e que protege hoje o primitivo portal. A igreja é de uma só nave, e nela se conserva parte do conjunto retabular de inícios do século XVI, obra encomendada pelo Cardeal-Infante D. Afonso, filho de D. Manuel e executada em parceria por três dos mais importantes pintores activos em Portugal nesta altura - Cristóvão de Figueiredo, Gregório Lopes e Garcia Fernandes-, designados por "Mestres de Ferreirim". O contrato para a realização dos três retábulos da igreja do Mosteiro integra o reduzido conjunto documental que se conservou até hoje, fornecendo dados fundamentais para o conhecimento, quer das formas de organização do trabalho - neste caso particular, traduzido numa relação de parceria entre os mestres de Lisboa -, quer da acção mecenática do Alto Clero, cujas preocupações transcendiam o plano material da obra pictórica incidindo, também, sobre os programas iconográficos.
Integrada na parte conventual subsiste uma torre militar medieval, símbolo do primitivo povoamento da localidade após a definição de Portugal como reino independente, depois reformada por uma campanha gótica, e hoje completamente restaurada.
RFF

Imagens

Bibliografia

Título

Manuelino. À descoberta da arte do tempo de D. Manuel I

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

A arquitectura manuelina

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

DIAS, Pedro