Saltar para o conteúdo principal da página

Um marco de cruzamento em Ota - detalhe

Designação

Designação

Um marco de cruzamento em Ota

Outras Designações / Pesquisas

Marco de Cruzamento em Ota(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Marco

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Alenquer / Ota

Endereço / Local

Rua da Malaposta
Ota

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 32 973, DG, I Série n.º 175, de 18-08-1943 (classificou como "Um marco de cruzamento em Ota, na estrada nacional n.º 70-2.ª, ao quilómetro 23,621") (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O marco de cruzamento da Ota é um dos monumentos deste tipo que chegou aos nossos dias em melhor estado de conservação. Ele insere-se na ampla renovação da rede viária do antigo termo de Lisboa, realizada por patrocínio da rainha D. Maria I, e da qual chegaram até hoje alguns marcos de légua, a maior parte deles razoavelmente conservados e objecto de classificação por parte do Estado português.
A diferença em relação aos restantes é que o marco da Ota é, seguramente, um dos mais monumentais: a proporção mantém-se, mas o cuidado decorativo posto no produto final faz com que este monumento se diferencie de forma inequívoca. Desconhecem-se as razões que levaram a esta situação, mas é de presumir que o facto de se implantar num importante cruzamento de vias na região, bem como a circunstância de se localizar na estrada Lisboa - Coimbra (então em construção sob supervisão do Desembargador Mascarenhas Neto), tenha sido determinante para um mais cuidado acabamento.
Tipologicamente, o marco compõe-se por três partes: base, fuste e coroamento, separados por molduras esquadriadas. A base é rectangular e saliente em relação ao fuste. Este apresenta quatro faces, sendo duas delas decoradas com inscrições: "A AUGUSTA RAINHA / D. MARIA I N. SNRA. / A MANDOU FAZER SEN / DO INSPECTOR DO TER / Rº. DE LXª E ESTRADAS / PÚBLICAS O ILLº E EXMº / CONDE DE VALLADA / RES NO ANNO DE 1788", na face maior, e "ESTRADA / QUE VEM / DE ALENQUER e SANTA / QUITÉRIA", na face posterior. Para além disso, o alçado principal integra um brasão real, testemunho do patrocínio régio da obra e da própria autoridade do Estado sobre a rede viária. Finalmente, o coroamento é em forma de globo sobre plinto quadrangular, revestido por friso de ornatos geométricos.
Denunciando já o gosto neoclássico em que se constituíu a estética imediatamente após o período pombalino, o Marco da Ota é uma peça patrimonial de exterma importância, não apenas por testemunhar um género artístico algo raro e tremendamente frágil perante as ameaças do progresso, mas também por ilustrar a antiga rede viária e as diversas beneficiações por que esta passou no concelho de Alenquer.
PAF

Bibliografia

Título

O concelho de Alenquer - subsídios para um roteiro de arte e etnografia

Local

Alenquer

Data

1989

Autor(es)

MELO, António de Oliveira, GUAPO, António Rodrigues