Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Percelada - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Percelada

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Porcelada / Pelourinho de Perselada / Pelourinho de Covas / Pelourinho de Percelada (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Tábua / Covas e Vila Nova de Oliveirinha

Endereço / Local

Largo do Pelourinho
Percelada

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Percelada, ou Perselada (de Pedra Selada), é uma villa muito antiga, que foi pertença do cenóbio de Santa Cruz de Coimbra, e mais tarde da Universidade da cidade. Não se lhe conheçe foral, nem dado pelos seus donatários nem pela Coroa, e nem sequer foral manuelino, da época em que tantas localidades receberam ou viram renovado o seu estatuto municipal. É possível que tivesse sido incluída no foral de Lagos da Beira, precisamente outorgado por D. Manuel, em 1514. Certo é que a localidade possui pelourinho, de clara tipologia manuelina, embora de concepção muito singela. O concelho foi extinto em 1836, e Percelada é actualmente uma povoação da freguesia de Covas, concelho de Tábua.
O pelourinho ergue-se num pequeno largo, sobre soco de três degraus quadrangulares de aresta, muito desgastados, o térreo quase totalmente embebido no pavimento, encimados por um terceiro fazendo as vezes de base da coluna. Este encaixa num orifício do plinto, que tem face superior rampante. O fuste é liso, de secção quadrangular, com ângulos moldurados em meia-cana até perto do topo, onde retoma a planta quadrada, ao modo de capitel cúbico. Possui pequenos botões cantonais côncavos sobre o término das chanfraduras, como único elemento decorativo. A coluna, ou o seu arremedo de capitel, é encimada por um ábaco quadrado, saliente, que faz de tabuleiro de onde arranca o remate. O remate é um cone de superfície lisa, ornado com quatro saliências, ou incipientes cogulhos, em forma de pêra, alinhadas com os ângulos da coluna. No topo do cone, ligeiramente truncado, está cravada a longa haste de uma cruz latina em ferro, com braços ligeiramente pateados nas extremidades. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde