Saltar para o conteúdo principal da página

Casa do Vinhal, incluindo a capela e os jardins - detalhe

Designação

Designação

Casa do Vinhal, incluindo a capela e os jardins

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Vila Nova de Famalicão / Vila Nova de Famalicão e Calendário

Endereço / Local

- -
Vinhal

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Casa do Vinhal, com imponente jardim de socalcos, e com vista para a cidade de Famalicão, é uma ampla construção, datável do final do século XVII ou inícios da centúria seguinte. Sabe-se que em 1601 era Senhor da casa Baltasar Cício Cogominho que, nesse mesmo ano e para liquidar as dívidas contraídas à Casa Real, se viu obrigado a vender a propriedade, então adquirida por António Álvares da Costa. Não se conhece o estado em que a casa se encontrava, à época, apenas surgindo novos dados em 1704, quando na capela foi celebrada uma missa pelo Arcebispo de Braga, D. Rodrigo de Moura Teles, que aqui passou a caminho do seu arcebispado, do qual tomou posse nesse mesmo ano.
A casa, de planta longitudinal, desenvolve-se em dois pisos, com natural proeminência para o andar nobre, onde os vãos, alguns dos quais em sacada e abertos em simetria, revelam um tratamento mais cuidado. A escadaria de lanços opostos de acesso a este piso, onde se encontra o portal, empresta ao alçado um maior dinamismo.
Numa das extremidades, a capela destaca-se pelo portal sobrepujado pelo brasão de armas dos Coutos, Azevedos, Farias e Barros. Os elementos heráldicos encontram-se ainda no portão junto à estrada, com um escudo esquartelado dos Costas, Azevedos, Cardosos, Meneses e Pinheiros.
A ligação ao jardim, que se desenvolve em patamares, é feita através de uma escadaria situada a eixo da escadaria principal, com a qual se articula visualmente.
(Rosário Carvalho)

Bibliografia

Título

Palácios e solares portuguezes (Col. Encyclopedia pela imagem)

Local

Porto

Data

1900

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

Nobres Casas de Portugal

Local

Porto

Data

1958

Autor(es)

SILVA, António Lambert Pereira da

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de