Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Alvaiázere - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Alvaiázere

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Alvaiázere (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Alvaiázere / Pussos

Endereço / Local

-- -
Pussos (conjectural)

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Alvaiázere é sede do concelho desde a Idade Média, tendo sido conquistada aos mouros e reedificada no início do século XIII, por acção de D. Sancho I, que lhe deu foral em 1220. Em 1306, D. Diniz cedeu o padroado de Alvaiázere à Ordem de Cristo. Foi elevada à categoria de vila em 1388, por D. João I, que lhe concede novo foral. D. Duarte doou-a a sua mulher, D. Leonor, em 1435. Na sequência da outorga de foral novo à povoação, em 1514, D. Manuel torna o Duque de Cadaval seu donatário, sendo de atribuir a este a iniciativa de construção do pelourinho. Este monumento, do qual apenas se conserva a memória, seria justamente coroado com o brasão de armas do Duque; ao que se sabe, foi vendido a um particular na primeira metade do século XX. O Inquérito Oficial de 1933 (aos pelourinhos nacionais) referia a existência de fragmentos do pelourinho integrados numa construção na vizinha freguesia de Prussos, dos quais não restam vestígios conhecidos. Uma nota da Câmara Municipal de Alvaiázere, datada de 1986, afirma que "o Pelourinho foi destruído há cerca de 35 anos", portanto por volta de 1950 (E. B. de Ataíde MALAFAIA, 1997, p. 501). SML

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde