Saltar para o conteúdo principal da página

Prédio seiscentista, também conhecido por Palácio Cabral - detalhe

Designação

Designação

Prédio seiscentista, também conhecido por Palácio Cabral

Outras Designações / Pesquisas

Palácio Fernando de Larre / Palácio Cabral / Junta de Freguesia de Santa Catarina (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palácio

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Misericórdia

Endereço / Local

Largo Dr. António Sousa Macedo
Lisboa

Número de Polícia: 7-7 E

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982 (alterou a designação para "Prédio seiscentista, também conhecido por Palácio Cabral") (ver Decreto)
Em 21-05-1979 a CM de Lisboa informa que o imóvel já está classificado desde 1961
Despacho de homologação de 11-10-1976 do Secretário de Estado da Investigação Científica
Parecer de 4-10-1976 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a propor a classificação como IIP do Palácio Cabral bem como todos os elementos ornamentais que decoram o seu interior e que dele fazem parte integrante
Decreto n.º 44 075, DG, I Série, n.º 281, de 5-12-1961 (classificou o "Prédio seiscentista no Largo de Sousa Macedo, 7") (ver Decreto)

ZEP

Declaração de rectificação n.º 874/2011, DR, 2.ª série, n.º 98, de 20-05-2011 (retificou para ZEP do Bairro Alto e imóveis classificados na sua envolvente) (ver Declaração)
Portaria n.º 398/2010, DR, 2.º série, n.º 112, de 11-06-2010 (sem restrições) (fixou a ZEP do Bairro Alto) (ver Portaria)
Despacho de homologação de 11-11-2009 da Ministra da Cultura para a ZEP Conjunta do Bairro Alto e Imóveis Classificados na sua Área Envolvente
Parecer favorável de 23-05-2008 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 29-09-2005 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

De arquitectura barroca e pombalina, este edifício do séc. XVIII sofreu diversos danos durante o terramoto de 1755, após o qual foi sendo reutilizado, tendo sido ocupado pela Junta de Freguesia de Santa Catarina após a extinção da Escola Secundária D. Maria I, em 1997.
De planta em "T", possui volumetria diferenciada e cobertura em telhados a duas e quatro águas. A fachada tem dois e três pisos, e encontra-se dividida em quatro panos desiguais de muro por intermédio da presença de pilastras lisas. Se o seu piso térreo é caracterizado pela presença de portas com molduras de cantaria e janelas de peito gradeadas, as onze localizadas no andar nobre são de sacada e gradeadas em ferro forjado e verga em arco abatido, sendo todo este conjunto rematado superiormente por uma cornija e balaustrada em cerâmica.
No interior, são de destacar elementos como a própria escadaria de acesso ao andar superior, forrada por silhares de azulejaria azul e branca e guarda de ferro forjado com elementos de ferro fundido, para além de alguns estuques relevados observáveis nos tectos de algumas das salas do andar nobre do palácio, assim como os azulejos setecentistas da primitiva capela. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Cabral (Palácio), in Dicionário da História de Lisboa

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

RODRIGUES, Maria João Madeira