Saltar para o conteúdo principal da página

Ponte de pedrinha sobre o rio Beça - detalhe

Designação

Designação

Ponte de pedrinha sobre o rio Beça

Outras Designações / Pesquisas

Ponte de Pedrinha sobre o Rio Beça(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Ponte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Vila Real / Boticas / Beça; Vilar e Viveiro

Endereço / Local

-- sobre o rio Beça
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 29/90, DR, I Série, n.º 163, de 17-07-1990 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Classificada em 1990 como "Imóvel de Interesse Público", a "Ponte de Pedrinha" ergue-se sobre o rio Beça, a cerca de quatro quilómetros de Boticas, num vale onde o curso de água se apresenta bastante mais amplo e fundo, ladeado por extensas pradarias. A ponte deve ter integrado a antiga via que ligava Bragança a Braga, ao mesmo tempo que facilitava o acesso a Montalegre e a Chaves. E apesar de ter sido, ao que tudo indica, edificada na Idade Média, é de meados dos anos cinquenta do século XVIII que data a primeira referência à sua existência, inserida nas Memórias Paroquiais.
Totalmente construída com silhares graníticos bem afeiçoados, a ponte possui um tabuleiro (actualmente alcatroado) com guardas, que teria assentado originalmente sobre cinco arcos quebrados de tamanho diferenciado, mas dos quais apenas quatro são hoje visíveis, talvez devido à densa vegetação que o cobrirá na totalidade. Toda esta estrutura é reforçada a montante por dois grandes quebra rios, de configuração e dimensão desigual. E é também nesta direcção que se implanta um açude com pontão pétreo e um pequeno moinho, numa das suas extremidades.
Embora tenha sido recentemente edificada uma ponte de betão nas imediações, a ponte de "Pedrinha" ainda é regularmente utilizada pelas comunidades agrícolas da região, a atestar a ancestral pertinência da sua localização.
[AMartins]

Bibliografia

Título

Vias Medievais. I Entre Douro e Minho

Local

Porto

Data

1968

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de

Título

Pontes romanas de Portugal

Local

Lisboa

Data

1999

Autor(es)

PINTO, Paulo Mendes

Título

Breves Notas sobre a região do Alto Tâmega

Local

Chaves

Data

1984

Autor(es)

MARTINS, João Baptista

Título

Boticas nas Memórias Paroquiais de 1758

Local

Boticas

Data

2001

Autor(es)

CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério