Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Messejana - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Messejana

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Messejana (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Beja / Aljustrel / Messejana

Endereço / Local

Praça 1.º de Julho
Messejana

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

Portaria n.º 1260/2009, DR, 2.ª série, n.º 229, de 25-11-2009 (sem restrições) (ver Portaria)
Despacho de homologação de 3-06-2003 do Ministro da Cultura
Parecer favorável de 7-05-2003 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Informação favorável de 22-01-2003 da DR de Évora
Proposta de 4-12-2002 da CM de Aljustrel

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A vila de Messejana, que chegou a ser concelho a partir do reinado de D. Dinis, teve foral novo dado por D. Manuel em 1512, data certamente próxima da construção do seu pelourinho. Este ergue-se num pequeno largo, diante da Torre do Relógio e da Igreja da Misericórdia da vila, e trata-se de uma picota de clara tipologia manuelina. Embora se situe na sua localização original, foi ao que parece apeado no século XIX, para permitir que na praça se fizessem touradas, e aí remontado no século XX. A base, de factura moderna, é constituída por um largo estrado circular, e por um soco de quatro degraus quadrangulares, de parapeito, sendo mais baixo o superior, sobre o qual se levanta a coluna, assente em base poligonal. O fuste é uma pilastra de secção sextavada, lisa e monolítica, com capitel circular ornamentado com boleados e um anel de torsade, rematado por uma estrutura cónica em dois blocos sobrepostos, cada um lavrado com estrias helicoidais em direcções opostas, separadas e rematadas por anéis idênticos. Sobre o conjunto, uma pequena esfera armilar com cruz, em ferro forjado. Sabe-se que os ferros e argolas de sujeição foram retirados em 1832, pela Vereação. SML SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde

Título

Pelourinhos Portugueses

Local

Inapa

Data

1991

Autor(es)

MAGALHÃES, Fernando Perfeito de