Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Nossa Senhora da Esperança - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Nossa Senhora da Esperança

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de Nossa Senhora da Esperança (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Beja / Castro Verde / Entradas

Endereço / Local

Avenida de Nossa Senhora da Esperança
Entradas

Rua da Ermida
Entradas

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 45/93, DR, I Série-B, n.º 280, de 30-11-1993 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A actual Igreja de Nossa Senhora da Esperança de Entradas resulta da ampliação de uma capela mais antiga, adaptada a capela-mor, à qual foi adicionada uma nave longitudinal. Este pequeno edifício original constitui uma típica construção de estilo manuelino na sua declinação regional alentejana, de volume cúbico, cobertura em abóbada de adobe iluminada por lanternim, e fachada posterior amparada por grandes contrafortes com pináculos cónicos. O corpo da nave terá sido acrescentado em 1575, por iniciativa de D. Bartolomeu Leitão, natural de Entradas, nomeado bispo de Cabo Verde nesse mesmo ano. As suas armas figuram no tímpano sobre o portal principal, enquadradas por volutas de tipologia maneirista, e curiosamente sobrepujadas por esfera armilar de feição manuelina, certamente reaproveitada da capelinha primitiva. A fachada principal resume-se a este singelo portal, de verga recta e frontão clássico, encimado por um óculo redondo sob empena triangular.
No interior, com nave única coberta por abóbada de berço, destaca-se o retábulo da capela-mor, em talha dourada de finais do século XVII e inícios do XVIII, bem como os frescos que decoram o arco triunfal e a cúpula. Aí se representam santos típicos da devoção popular (e regional), neste caso Santo Amaro, São Sebastião, São Lourenço, Santa Luzia e São Brás. SML

Imagens