Saltar para o conteúdo principal da página

Fortaleza de Buarcos - detalhe

Designação

Designação

Fortaleza de Buarcos

Outras Designações / Pesquisas

Forte de São Pedro de Buarcos / Fortaleza de Buarcos (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Fortaleza

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Figueira da Foz / Buarcos e São Julião

Endereço / Local

Rua 5 de Outubro
Buarcos

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 44 075, DG, I Série, n.º 281, de 5-12-1961 (ver Decreto)

ZEP

Portaria n.º 337/2011, DR, 2.ª série, n.º 27, de 8-02-2011 (sem restrições) (ver Portaria)
Despacho de homologação de 23-06-2010 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer favorável de 15-07-2009 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 15-09-2008 da DRC do Centro para a ZEP da Fortaleza de Buarcos, da Capela de Nossa Senhora da Conceição e do Pelourinho de Buarcos

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A estrutura primitiva da Fortaleza do porto de Buarcos já existia no reinado de D. João I, tendo sido doada pelo monarca ao seu filho D. Pedro. Foi o Infante que mandou acrescentar dois baluartes ao castelo de Buarcos, dotando-o de peças de artilharia (BORGES, 1991, p. 62).
No ano de 1566 a zona de Figueira e Buarcos foi atacada por corsários, verificando-se que as suas fortalezas não tinham capacidade de defesa das populações, pelo que a Coroa ordenou que se construísse um novo forte.
Esta nova estrutura defensiva foi edificada entre os anos de 1570 e 1602 (Idem, ibidem, p. 63), assinalando-se que nesta última data a povoação de Buarcos sofreu um novo ataque corsário. No ano de 1642, Fernão Gomes de Quadros recebeu ordens para edificar "duas plataformas na fortificação de Buarcos" para que lhe fossem acrescentadas peças de artilharia (Idem, ibidem, p. 64). A obra iria arrastar-se pela centúria seguinte, estando terminada cerca de 1751.
Na sua estrutura original, a fortaleza possuía três baluartes, dispostos ao longo do perímetro muralhado, que englobava a zona dos quartéis e paiol. Depois das Guerras Liberais, o forte ficava desactivado, e actualmente subsistem as estruturas dos baluartes e da cortina de muralhas que os liga, junto à marginal da praia de Buarcos.
Catarina Oliveira
IPPAR/ 2006

Imagens

Bibliografia

Título

Figueira da Foz

Local

Lisboa

Data

1991

Autor(es)

BORGES, José Pedro de Aboim