Saltar para o conteúdo principal da página

Capela de Nossa Senhora da Conceição - detalhe

Designação

Designação

Capela de Nossa Senhora da Conceição

Outras Designações / Pesquisas

Capela de Nossa Senhora da Conceição(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Alcobaça / Alcobaça e Vestiaria

Endereço / Local

Largo da Conceição
Alcobaça

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 42 692, DG, I Série, n.º 276, de 30-11-1959 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A capela que hoje conhecemos remonta ao ano de 1648, mas a existência de um templo neste local é bastante anterior pois, de acordo com Maur Cocheril, foi aqui, no recolhimento de Santa Maria-a-Velha (a primeira pedra da igreja foi lançada em 1152) que se instalaram os primeiros cistercienses, durante o período de construção do Mosteiro que decorreu, sensivelmente, entre 1153-54 e 1223-25 (COCHERIL, 1978, p. 256).
No século XVII, a igreja deveria reclamar uma intervenção, pelo que foi reedificada em 1648, deixando também de ser paroquial, função que passou para a igreja Nova, situada no local onde actualmente se encontra o edifício dos Correios. Por sua vez, o Colégio da Conceição, que funcionou nas suas instalações, foi transferido para a ala esquerda do Mosteiro em meados do século XVIII.
O templo, que domina o largo com o mesmo nome, denota grande austeridade arquitectónica, desenvolvendo-se em dois volumes correspondentes à espacialidade interior - nave única e capela-mor mais baixa. A fachada principal, definida por pilastras nos cunhais, apresenta portal principal com pilastras laterais e frontão em arco canopial, com uma volumosa flor-de-lis no tímpano.
Remata o alçado o frontão triangular, com óculo no tímpano, e ladeado por pináculos, no eixo dos cunhais. O interior mantém a sobriedade externa, com coro-alto, dois púlpitos e dois altares, e capela-mor com retábulo de talha dourada (seiscentista), onde se inscrevem quatro pinturas de evocação mariana.
Em todo o caso, e apesar da reedificação seiscentista, esta pequena capela, que integrou a primitiva cerca do Mosteiro, reveste-se de especial significado no contexto da história da abadia cisterciense, por ter sido o primeiro local a acolher os monges fundadores.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Breve História de Alcobaça

Local

Alcobaça

Data

1995

Autor(es)

VILA NOVA, Bernardo

Título

Inventário Artístico de Portugal - Aveiro, Beja, Coimbra, Évora, Leiria, Portalegre, Porto e Santarém

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

Routier des abbayes cisterciennes du Portugal

Local

Paris

Data

1986

Autor(es)

COCHERIL, Maur