Saltar para o conteúdo principal da página
Património Cultural

Igreja de Almargem do Bispo - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Almargem do Bispo

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de São Pedro / Igreja Paroquial de Almargem do Bispo / Igreja de São Pedro (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Sintra / Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro e Montelavar

Endereço / Local

Largo da Igreja
Almargem do Bispo

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Procedimento de ampliação da classificação caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma)
Edital N.º 271/07 de 6-07-2007 da CM de Sintra
Despacho de 21-03-2006 da vice-presidente do IPPAR a determinar a abertura do procedimento de ampliação da classificação, de forma a incluir o adro
Informação favorável de 19-07-2003 da DR de Lisboa do IPPAR
Proposta de 20-03-2002 da CM de Sintra para a ampliação da classificação, de forma a incluir o adro
Decreto n.º 43 073, DG, I Série, n.º 162, de 14-07-1960 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Embora sejam conhecidas referências à povoação de Almargem desde o início do século XIII, a constituição de uma paróquia naquela localidade foi muito tardia. No século XV o espaço que correspondia à povoação de Almargem estava dividido em duas partes, uma pertencente ao termo de Sintra, integrada na paróquia de São Pedro de Canaferrim, outra integrada no termo de Lisboa.
Em meados do século XVI D. Miguel de Castro, bispo de Viseu e arcebispo de Lisboa, que era proprietário de várias terras naquela povoação, determinou a criação da paróquia de São Pedro de Almargem do Bispo, sendo então iniciada a edificação da igreja matriz.
De modelo maneirista de tipologia chã, com planimetria longitudinal composta pelos volumes correspondentes à nave e à capela-mor, pouco profunda, a matriz de Almargem do Bispo apresenta uma frontaria simples, destituída de decoração, precedida por escadaria, com contrafortes laterais e portal de moldura rectangular encimada por janela de moldura semelhante. No lado do Evangelho a fachada é interrompida pela sineira, edificada no século XVII.
Interiormente, a igreja divide-se em três naves, marcadas por arcos de volta perfeita assentes em colunas toscanas. Tanto estas como o intradorso dos arcos são decorados com pintura decorativa de brutesco. Os panos murários são decorados com azulejos de tapete seiscentistas, e o espaço das naves é coberto por tecto de masseira com caixotões pintados.
A capela-mor é uma obra setecentista, tendo sido edificado ao centro retábulo de talha dourado e policromado, com sacrário e trono ladeados por imagens de São Pedro e São Paulo. O conjunto é rematado por frontão contracurvado, no qual foram inseridos painéis com representações da Anunciação e da Coroação da Virgem. O espaço da capela-mor é revestido com azulejos de padrão geométrico.
Catarina Oliveira
GIF/ IPPAR/ 2005

Imagens

Bibliografia

Título

Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

ATAÍDE, M. Maia