Saltar para o conteúdo principal da página

Portada proveniente do Palácio do Freixo - detalhe

Designação

Designação

Portada proveniente do Palácio do Freixo

Outras Designações / Pesquisas

Quinta da Torre das Donas / Portal Proveniente do Palácio do Freixo(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Portal

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Ponte de Lima / Vitorino das Donas

Endereço / Local

EN 203
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Retirada da entrada do palácio do Freixo, no Porto, antes de 1924, esta portada encontra-se hoje a anteceder o portal principal da Casa da Torre das Donas, em Vitorino das Donas. O motivo habitualmente invocado para a mudança de localização é a abertura da Marginal, junto ao Palácio do Freixo, muito embora tudo indique que a portada foi adquirido antes por Francisco Russel de Sousa, que a aplicou na sua quinta (TÁVORA, 1953, p. 62).
Residência de Verão do Deão Jerónimo de Távora e Noronha, o Palácio do Freixo foi concebido por Nicolau Nasoni, cuja ligação a esta obra se encontra documentalmente comprovada através do contracto celebrado entre o deão e o mestre carpinteiro José de Sousa Barros, com data de 8 de Junho de 1750, e onde o nome do arquitecto italiano é mencionado (SMITH, 1966, p. 152). No plano geral do palácio, a portada desempenhava um papel de grande relevo, uma vez que era aqui que se iniciava o percurso que culminava no edifício habitacional (IDEM, p. 153).
De acordo com as palavras de Robert Smith, este exemplar revela os elementos fantásticos que dominam a arquitectura do Freixo e a opulência plástica que o distingue. É formado por um arco canopial flanqueado por frisos verticais decorados por motivos frutos e flores que terminam com duas faces, identificadas como Baco e um turco (TÁVORA, 1953, p. 62; SORDO, 1979, p. 120). A coroar o arco, o golfinho tem aqui uma função heráldica, identificado como símbolo dos Távora (IDEM). É a partir desta figuração que se desenvolvem dois festões, ligados a conchas contorcidas. O conjunto termina num frontão semicircular, coroado por concha.
No que diz respeito à casa de Torre das Donas, o seu primeiro senhor foi Gaspar de Araújo de Azevedo, sabendo-se que em 1647 D. João IV lhe concedeu o foro de fidalgo como gratificação pelos serviços que este lhe prestou no Brasil SORDO, 1979, p. 118). A existência da propriedade é, muito possivelmente, bem anterior, uma vez que o edifício setecentista se desenvolve em torno de uma torre de três pisos com pináculos, esferas e ameias de época medieval (AZEVEDO, 1969, p. 177).
Ainda que retirado do seu contexto original, a portada proveniente do Palácio do Freixo parece ser a única obra conhecida de Nicolau Nasoni existente no distrito de Viana do Castelo (TÁVORA, 1953).
(Rosário Carvalho)

Bibliografia

Título

Nicolau Nasoni, arquitecto do Porto

Local

-

Data

1966

Autor(es)

SMITH, Robert C.

Título

Nasoni, Nicolau, Dicionário de Arte Barroca em Portugal

Local

-

Data

1989

Autor(es)

ALVES, Joaquim Jaime Ferreira

Título

Uma obra de Nasoni a dois passos de VianaCadernos Vianenses, tomo II, pp. 118-123

Local

Viana do Castelo

Data

1979

Autor(es)

SORDO, Albano

Título

Um portão antigo da quinta do Palácio do Freixo, O Tripeiro, série V, ano IX, n.º 2

Local

Porto

Data

1953

Autor(es)

TÁVORA, Luís de Noronha e