Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja do Rosário - detalhe

Designação

Designação

Igreja do Rosário

Outras Designações / Pesquisas

Igreja Paroquial do Rosário / Igreja Paroquial de Rosário / Igreja de Nossa Senhora do Rosário (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Beja / Almodôvar / Rosário

Endereço / Local

Aldeia do Rosário
Almodôvar

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 1/86, DR, I Série, n.º 2, de 3-01-1986 (ver Decreto)
Despacho de homologação de 9-06-1981 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 2-06-1981 da Comissão "ad hoc" do IPPC a propor a classificação como IIP

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Igreja do Rosário, paroquial da povoação com este topónimo, é um singelo edifício setecentista com intervenções oitocentistas, conforme data inscrita no interior. Ergue-se junto ao cemitério local, na periferia do núcleo habitacional, deitando para um amplo terreno sobre a estrada que liga Rosário a Castro Verde. O volume do templo parece acrescentado pelo muro e portão do cemitério (à direita), e pelo edifício contíguo da Comissão Fabriqueira, onde funciona um Centro Cultural e Desportivo (à esquerda), escondendo esta última construção o pequeno corpo do baptistério. A fachada é aberta por um portal de verga recta sob empena triangular, possuindo torre sineira adossada, do lado direito.
A planta, longitudinal, é composta pela nave única e por capela-mor rectangular. A nave estrutura-se em três tramos, separados por dois largos arcos diafragma quebrados e rebaixados, que sustentam a cobertura de madeira em duas águas, e emprestam ao interior um tom arcaizante. A capela-mor, coberta com abóbada de berço, abre através de um arco abatido sobre pilastras. Apresenta um recheio modesto, reduzido a um nicho central com imagem de Nossa Senhora do Rosário, ladeada por motivos barrocos em estuque (aletas, palmas e florões), dois espelhos com molduras de tipologia idêntica, e algumas outras imagens devocionais. Na parede direita abre-se a sacristia, cuja porta é repruduzida, para efeitos de simetria, por uma outra pintada em trompe l' oeil no muro dianteiro.
Um dos principais interesses do imóvel reside na série de pinturas murais que decoram as paredes da nave, representando santos de grandes dimensões e factura bastante tosca. Incluem-se aqui as representações de Santa Apolónia, Santa Ágata, Santa Maria Madalena, Santa Luzia, São Bernardo e Santiago mata-mouros, esta última recordando seguramente o facto de toda a região de Almodôvar ter permanecido integrada no mestrado de Santiago durante boa parte da sua história.
Na parede esquerda da nave rasga-se ainda o arco redondo que abre a pequena capela baptismal, quadrada e coberta por cúpula, enquanto à direita se encontra a porta travessa, comunicante com o recinto do cemitério. Por fim, importa mencionar uma pedra inscrita, situada por trás da tribuna, onde figura a data de 1713. SML

Imagens