Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Castelo - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Castelo

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Arnóia / Pelourinho do Castelo / Pelourinho de Arnóia (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Celorico de Basto / Arnóia

Endereço / Local

Lugar do Castelo
Castelo de Arnóia

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

As terras de Arnóia pertenceram ao Mosteiro de São João, aí sediado, e erguido ainda no século X, e o seu castelo será anterior à nacionalidade. Ainda assim, a localidade não teve foral anterior ao documento manuelino, datado de 1520. Os antigos edifícios da Casa da Câmara e da cadeia comarcã foram levantados junto do referido castelo, na antiga Vila de Basto, em cuja proximidade se ergue hoje o pelourinho. Em 1719 a sede concelhia passou para o lugar de Freixieiro, hoje Celorico de Basto. A picota encontrava-se em fragmentos em meados do século XX, tendo sido reconstruída na sua presente localização em 1963.
O pelourinho, muito singelo, levanta-se sobre uma singela plataforma quadrangular com dois degraus, estando o térreo quase totalmente enterrado no solo. Nela assenta a base da coluna, lisa e circular, semelhante a uma mó de pequenas dimensões. A coluna tem fuste cilíndrico e liso, de secção ligeiramente descrescente em direcção ao topo, rematada em rebordo largo e muito saliente. Sobre ele pousa o remate, constituído por um pequeno ábaco ou tabuleiro quadrangular, encimado por pirâmide quadrada. O monumento possui uma placa, onde se pode ler: PICOTA DA VILA DE BASTO. RECONSTRUÍDA PELA COMISSÃO REGIONAL DE TURISMO DA SERRA DO MARÃO NO ANO DE 1963.
A reconstrução do pelourinho foi feita recorrendo aos fragmentos que foi possível localizar, nomeadamente a base e a coluna. O remate é portanto de factura moderna, datado da intervenção, e foi feito tendo como modelo o Pelourinho de Ermelo, em Mondim de Basto. Assim sendo, não é possível avançar uma cronologia para o monumento, embora esta assuma, pelo menos desde o restauro, feição tardo-quinhentista, ou mesmo seiscentista. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde