Saltar para o conteúdo principal da página

Capela de São Bernardino - detalhe

Designação

Designação

Capela de São Bernardino

Outras Designações / Pesquisas

Capela de São Bernardino (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Bragança / Alfândega da Fé / Gebelim e Soeima

Endereço / Local

-- na vertente nascente da serra de Bornes
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 8/83, DR, I Série, n.º 19, de 24-01-1983 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situada num amplo terreiro com escadaria, a capela de São Bernardino foi, até ao início do século XX, um importante local de peregrinação, por ser muito forte a crença na protecção do santo contra os espíritos malignos (VILARES, 1926, p. 202).
Sobre a capela, são muito poucos os dados conhecidos, e apenas é possível perceber, com alguma exactidão, a época da sua construção, que se encontra inscrita na porta lateral - 1741. Em todo o caso, importa não excluir a possibilidade de aqui ter existido uma outra igreja, de origem mais remota (IDEM, p. 201). O Padre António Carvalho da Costa, na sua Corografia Portuguesa, de 1706/12, refere a existência de duas ermidas, mas sem mencionar as respectivas invocações que, no entanto, devem corresponder à ermida de Nossa Senhora do Rosário e à de São Bernardino (COSTA, 1706/12, p. 461).
De planta longitudinal, com nave única e capela-mor, mais baixa e estreita, a capela de São Bernardino apresenta ainda sacristia adossada a Norte e um alpendre, que protege a porta lateral, a Sul. As suas linhas depuradas mantêm-se também no interior, constituindo a fachada e a capela-mor as zonas de maior carga decorativa.
O alçado principal, é definido por pilastras nos cunhais, que enquadram o portal central. Este, de verga recta, é flanqueado por pilastras que suportam entablamento, e são prolongadas pelos pináculos que ladeiam o alto frontão que coroa o conjunto. Definido por duas aletas, interrompidas por uma vieira, exibe no tímpano um pequeno nicho onde deveria figurar a imagem do orago. A empena, cortada, é prolongada pela sineira, aberta em arco de volta perfeita e rematada por uma cruz sobre a cornija.
A sacristia, encontra-se num plano mais recuado, e este alçado é aberto por uma janela, cujo lintel interrompe o friso da cornija. Do lado oposto, o alpendre é suportado por colunata facetada, interrompida ao centro, para dar acesso à porta.
No interior, para além do púlpito com guarda de madeira, a capela-mor, separada da ave por um arco de cantaria de volta perfeita, é o espaço de maior destaque, com retábulo rococó, de talha dourada e policromada, com a imagem do santo, a quem a capela é dedicada, na tribuna. A mesma iconografia está presente no tecto, onde figura uma representação pouco comum de São Bernardino (IDEM, p. 202).
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Corografia Portuguesa e descripçam topographica do famoso Reyno de Portugal

Local

Lisboa

Data

1712

Autor(es)

COSTA, Pe. António Carvalho da

Título

Monografia do Concelho de Alfândega da Fé

Local

Porto

Data

1926

Autor(es)

VILARES, João Baptista