Saltar para o conteúdo principal da página

Casa Branca - detalhe

Designação

Designação

Casa Branca

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Gondomar / Gondomar (São Cosme), Valbom e Jovim

Endereço / Local

-- -
Gramido

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 5/2002, DR, I Série-B. n.º 42, de 19-02-2002 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O grande interesse patrimonial da denominada Casa Branca reside no facto de ter sido palco, em 1847, da assinatura da Convenção de Gramido, que pôs fim ao período da história do liberalismo português designado por "cabralismo" e às sublevações populares que ficaram conhecidas como Maria da Fonte e Patuleia. O Duque de Loulé, em nome da Junta do Porto, e os comandantes ingleses e espanhóis foram os signatários deste acordo, a que se seguiu um governo liderado pelo Duque de Saldanha e por Costa Cabral.
A este imóvel, que se encontra a ser recuperado ao abrigo do Programa Pólis para "sala de visitas" do Município de Gondomar, é reconhecida alguma importância histórica, cujo alcance merece ser reavaliado. A área mais antiga da casa, denominada casa pequena, é uma construção que remonta, ao que tudo indica, à primeira metade do século XVII. A sua implantação numa zona de confluências de vias terrestres (ligação entre Gondomar e Avintes) e fluviais (ligando o litorial ao interior) denuncia uma eventual função de controlo.
Esta casa pequena, mais baixa e antecedida por um pátio, tem acesso por uma varanda, à qual se chega através da escada de quatro degraus.
A casa grande é uma edificação de 1802, de três andares e que hoje se encontra descaracterizada, principalmente ao nível dos alçados Nascente e Norte, em consequência da intervenção ocorrida em meados do século XX. Os dois primeiros pisos revelam alguma unidade, com vãos de verga recta, mas o último, recuado e percorrido por uma varanda, parece ser o resultado de uma intervenção posterior.
A entrada para os dois blocos é antecedida por um pátio, a que se acede através de portão. Ambas as entradas são precedidas por varandas com escadas: na casa pequena uma varanda alpendrada e na casa grande uma varanda com arcaria.
(Rosário Carvalho)