Saltar para o conteúdo principal da página

Palácio dos Pimentéis, também denominado «Solar dos Pimentéis» - detalhe

Designação

Designação

Palácio dos Pimentéis, também denominado «Solar dos Pimentéis»

Outras Designações / Pesquisas

Palácio dos Pimentéis / Solar dos Pimentéis (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palácio

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Bragança / Mogadouro / Castelo Branco

Endereço / Local

EN 221
Castelo Branco

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 2/96, DR, I Série-B, n.º 56, de 6-03-1996 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Considerado uma das maiores residências nobres trasmontanas, o antigo solar da família Pimentel é uma construção que remonta, muito possivelmente, à segunda metade do século XVIII, inscrevendo-se na tipologia mais comum da arquitectura solarenga setecentista, mas denunciando, nos elementos decorativos e recortes das molduras dos vãos, uma linguagem rococó (AZEVEDO, 1969, p. 127).
De planta rectangular, a casa pauta-se por um desenvolvimento horizontal, ainda que equilibrado pelos eixos verticais formados pelas pilastras dos cunhais, coroadas por pináculos, pelas pilastras de capitéis coríntios que dividem a fachada em três corpos, e pela articulação porta-janela que se observa ao centro de cada um dos panos do alçado principal. Estas composições parecem "substituir" as pilastras, pois respeitam uma configuração idêntica na sua ligação à cornija. As portas do piso térreo, tal como todos os restantes vãos, apresentam verga em arco abatido, mas prolongam-se pela janela de sacada superior, que termina num frontão de lanços. São ladeadas por duas janelas, de avental e remate recortado, em cada piso.
O ritmo da fachada converge no corpo central, mais estreito e sem janelas, com o portal a destacar-se pelas pilastras oblíquas que o flanqueiam, e pelo frontão superior, de maiores dimensões. Este pano é prolongado por uma mansarda, aberta por duas janelas, entre as quais se exibe o brasão dos Pimentéis, com uma coroa por timbre.
A implantação isolada do imóvel, mas no centro da povoação, marca urbanisticamente toda este zona, ao mesmo tempo que a imponência da sua fachada reflecte a imagem de poder e prestígio social que os seus proprietários pretendiam transmitir.
Os alçados laterais exibem um único piso, com janelas idênticas às da fachada principal (registando-se alterações apenas nos elementos decorativos) a enquadrar a sacada, e no posterior destaca-se a escadaria de granito de acesso ao alpendre.
Desde 2001 que o imóvel é objecto de um projecto de reconversão que pretende transformá-lo num hotel tradicional.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de