Saltar para o conteúdo principal da página

Ponte de Sumes - detalhe

Designação

Designação

Ponte de Sumes

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Ponte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Tábua / Midões

Endereço / Local

-- -
Midões

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 29/90, DR, I Série, n.º 163, de 17-07-1990 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Sítio
A Ponte de Sumes implanta-se sobre o rio de Cavalos, 2 km a sudoeste da vila de Midões, freguesia de Midões, no concelho da Tábua. Ponte edificada em alvenaria de granito, integra-se atualmente num caminho vicinal, de possível origem romana, correspondendo à via que ligaria a civitas de Bobadela à de Viseu.
Estrutura com tabuleiro de perfil horizontal pavimentado com lajes irregulares, com 50 metros de comprimento, 3 de largura, altura máxima de 6,8 metros e arco de 4,8 metros. Os silhares de pedra de diversas dimensões estão dispostos em fiadas regulares, apresentando um único arco, de volta perfeita e fundações sobre o afloramento rochoso afeiçoado. As guardas terão sido retiradas nos finais do século passado. No intradorso do arco estão patentes agulheiros para sustentação dos barrotes. Originalmente o tabuleiro desenvolva-se imediatamente acima do arco, tendo sido alteada em mais de um metro em data indeterminada.
São visíveis vestígios de troços de calçada nas imediações do imóvel, presumivelmente da época Medieval.
Tradicionalmente é indicada uma data de construção precisa para a ponte, o ano 80 d.C., no principado de Tito, com base numa inscrição embutida na parede de um muro de uma residência, na rua Macedo dos Santos, em Póvoa de Midões. Trata-se de uma pequena epígrafe cuja interpretação não reúne consenso entre os investigadores. Cardim Ribeiro contesta a leitura mais comum, defendendo que se refere à construção de uma fonte e não de uma ponte. A cronologia romana da estrutura não é suportada por qualquer outra evidência, não sendo de descartar uma data mais recente para a sua edificação.
História
A possibilidade de existência de uma ponte romana em Midões é referida no Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Coimbra, em articulação com a lápide de Póvoa de Midões. O único trabalho arqueológico realizado consistiu numa prospeção efetuada em 1999, no âmbito do Levantamento Arqueológico do Concelho de Tábua que decorreu sob a orientação cientifica de Suzana dos Santos, Filipa Bragança, Filipa Neto e Sandra Lourenço, que aponta igualmente uma cronologia romana para as suas fundações.
Ana Vale
DGPC, 2019
(em colaboração com Luís Pedro Ferreira, Câmara Municipal de Tábua)

Bibliografia

Título

Pontes Antigas Classificadas

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

RIBEIRO, Aníbal Soares

Título

Pontes romanas de Portugal

Local

Lisboa

Data

1999

Autor(es)

PINTO, Paulo Mendes

Título

Inventario Artistico de Portugal - Distrito de Coimbra

Local

Lisboa

Data

1993

Autor(es)

GONCALVES, António Nogueira, CORREIA, Vergílio

Título

Estradas e Pontes Romanas a Norte do Tejo

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

BRANDÃO, Augusto Pereira

Título

O Património Arqueológico do Concelho de Tábua,Al-Madan, II série, n.º 17

Local

-

Data

2012

Autor(es)

BRAGANÇA, Filipa, NETO, Filipa, LOURENÇO, Sandra