Saltar para o conteúdo principal da página

Arco denominado das Freiras - detalhe

Designação

Designação

Arco denominado das Freiras

Outras Designações / Pesquisas

Arco das Freiras / Convento e Igreja de Santa Iria (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Arco

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Tomar / Tomar (São João Baptista) e Santa Maria dos Olivais

Endereço / Local

Rua de Santa Iria
Tomar

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 35 532, DG, I Série, n.º 55, de 15-03-1946 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Erguida nas margens do rio Nabão, Tomar desempenhou papel central no desenrolar dos principais acontecimentos políticos registados no actual território português, especialmente com a sua conquista aos mouros, em 1147, por D. Afonso Henriques (1109-1185), que a doaria à Ordem dos Templários, em 1159, conferindo-lhe foral D. Gualdim Pais, em 1162, até que, em 1312, e por decisão do Papa João XXII (1249?-1334), a Ordem seria extinta, fundando-se, então, a Ordem Militar de Cristo, a mesma que se fixaria no castelo da localidade de Tomar, elevada a cidade apenas em 1844, sendo que "[...] o interesse da cidade reside quase exclusivamente no valor excepcional da sua arte, que cobre um largo período [...]." (Guia de Portugal, p. 455-456).
De entre as inúmeras edificações arcaicas existentes em Tomar, sobressai o "Arco das Freiras", lançado sobre a actual Rua de Santa Iria para ligar o antigo edifício do convento do mesmo nome - de Santa Iria -, regido pela observância de Santa Clara (GUILHERME, 1982, p. 30), e o antigo Palácio de Frei António de Lisboa (FRANÇA, J.-A., 1994, p. 84). Não obstante, a sua edificação inicial visou a interligação da primitiva área conventual à sua esfera de expansão, ocorrida ainda no século XVI.
Suportando um passadiço de planta rectangular, de construção robusta, o arco pleno, de consideráveis dimensões, apresenta intradorso composto de blocos aparelhados de cantaria. Toda a estrutura é reforçada por contrafortes laterais, sendo coberta por telhado de duas águas. Nos alçados exteriores é possível observar a zona onde passa o corredor, demarcada da área do arco, propriamente dita, por cercadura em cantaria, como de cantaria são os vãos que molduram as frestas rectangulares rasgadas no mesmo corredor.
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

História de Tomar

Local

Tomar

Data

1982

Autor(es)

ROSA, Amorim

Título

Guia de Portugal. Estremadura, Alentejo, Algarve.

Local

Lisboa

Data

1924

Autor(es)

PROENÇA, Raul

Título

Santa Iria - influências da escola renascetista coimbrã em Tomar, Boletim Cultural e Informativo da Câmara Municipal de Tomar, nº 4, 1982, pp. 11-57

Local

Tomar

Data

1982

Autor(es)

GUILHERME, Pe. José

Título

Tomar

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

FRANÇA, José-Augusto