Saltar para o conteúdo principal da página

Chafariz de Palhais - detalhe

Designação

Designação

Chafariz de Palhais

Outras Designações / Pesquisas

Chafariz de Palhais(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Chafariz

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Santarém / União de Freguesias da cidade de Santarém

Endereço / Local

-- -
Ribeira de Santarém

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978 (ver Decreto)
Edital de 24-02-1976 da CM de Santarém
Despacho de homologação de 16-07-1975 do Secretário de Estado da Cultura e Educação Permanente
Parecer de 11-07-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a propor a classificação como IIP
Proposta de classificação de 18-06-1975 da DGAC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O chafariz de Palhais, localizado à entrada da Ribeira de Santarém, é uma peça da segunda metade do século XVIII desenvolvida num paredão ornamentado com pares de pilastras adossadas, em envasamentos simples rematados por pilastras de urnas, envolvendo um nicho central com as bicas de água. A peça é desenhada de acordo com a gramática artística tardo-barroca, em severas linhas clássicas, mas animada no frontão recortado por profusa gramática 'rocaille', e nos lados com jogos de volutas simétricas. Ao centro, destaca-se o nicho de calote semi-esférica, com moldura rococó; entre cada par de pilastras adossadas à estrutura pétrea jorra a água a partir de bicas decoradas com carrancas fantasistas que suportam pináculos triangulares em baixo relevo. Na zona superior, encontra-se o entablamento sobrepujado por um frontão rocócó centrado poelo brasão do Município, este com motivos heráldicos reais. Com grande manancial de águas, este chafariz abastecia todos os viajantes que tomavam o destino do Norte pela estrada real ou coimbrã, ou dessedentava os que aportavam à antiga Vila pelas três estradas de campo que ali entroncam. Note-se que a sua localização anda também associada à existência, naquele lugar, de uma igreja gótica e de um hospital da invocação de Santa Maria de Palhais (Jorge CUSTÓDIO, 1996).

Imagens